Segunda, 19 de Fevereiro de 2018

ORIENTAÇÃO

Ação de pequena empresa tem risco maior, afirmam especialistas financeiros

15 NOV 2010Por estadão01h:01

Pequenos investidores, com pouco conhecimento e tempo escasso devem evitar a negociação direta de ações de empresas de pequeno e médio porte. A orientação, dada por especialistas do mercado financeiro, ganhou força na semana passada depois da descoberta do descompasso contábil do Banco Panamericano, que acarretou na queda de quase 30% na cotação das ações de um dia para outro.

 Os analistas de mercado comentam que a rentabilidade das pequenas e médias empresas listadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) normalmente é mais atrativa que a de grandes companhias. "São empresas novas que estão crescendo e que têm condições de dobrar os seus ganhos em um ano", explica Fábio Colombo, administrador de investimentos que atua no mercado há mais de vinte anos.

Administrar uma carteira composta por ações de pequenas empresas (também chamadas de small caps), no entanto, é trabalho complexo. O investidor precisa checar as oscilações dos papéis diariamente, além de verificar diversos fatores macroeconômicos nacionais e globais para tentar estimar o futuro das cotações e evitar perdas, dizem especialistas. "É preciso um acompanhamento mais de perto", completa Rafael Paschoarelli, professor de finanças da Universidade de São Paulo (USP).

Analisar os balanços das empresas também é obrigatório para aqueles que optam investir em small caps. "Pontuo como mais importante o índice de endividamento, lucro líquido e vendas da empresa", detalha Colombo.

O excessivo cuidado, explicam os especialistas, é necessário porque são pequenas empresas que têm risco, por exemplo, de quebrar, diferentemente de grandes companhias consolidadas como Petrobrás e Vale.

Para Paschoarelli, analisar o tipo de gestão e quem são os administradores da empresa também é de extrema relevância antes de decidir quais ações comprar. Ele cita o caso do Panamericano para exemplificar: "O presidente do banco (Rafael Palladino, demitido no dia da descoberta do rombo de R$ 2,5 bilhões) era o primo da mulher do Silvio Santos e não um profissional capacitado para o cargo."

O professor sugere que os investidores procurem as small caps que têm participação de private equitys na gestão. "São olheiros profissionais acompanhando a empresa. Equívocos são mais difíceis de ocorrer", diz. Para saber onde estão os private equitys, o investidor pode entrar no site do comdinheiro.com.br, clicar na aba "Ações" e depois em "Investidores". Na janela seguinte haverá um campo para que seja inserido o nome do private. Depois disso, o site localiza em quais ativos o fundo investe.

Gestor profissional. A maior rentabilidade das small caps obviamente chama a atenção dos investidores. "Mas para aplicar nessas empresas é preciso ter conhecimento. A melhor opção é ter o acompanhamento de um gestor profissional", diz Walter Maciel Neto, sócio da Quest Investimentos.

Paschoarelli reforça que não indica a investidores inexperientes a compra de pequenas e médias empresas. "Para quem quer arriscar, recomendo que não compre diversos papéis ou não conseguirá acompanhar o desenrolar do investimento." Para quem tem uma carteira de até R$ 20 mil, o professor indica a compra de no máximo duas empresas diferentes. Se a carteira for de R$ 1 milhão, é possível diversificar com até cinco ações diferentes.

Uma alternativa para aplicar nas small caps e usufruir de gestão profissional é aplicando em fundos de investimentos. "Há muitos tipos no mercado. É preciso pesquisar bem, checando os custos cobrados pelo gestor principalmente porque há muitas opções no mercado", diz Luiz Roberto Calado, especialista em finanças pessoais e autor do livro recém-lançado Fundos de Investimento.

 

PARA FAZER BOM NEGÓCIO...

Gestão
Checar a gestão e quem são os administradores e dirigentes da companhia. Segundo especialistas, empresas pequenas que têm participação de private
equitys são mais seguras

Balanço
Quem optar pelo investimento em small caps (empresas de menor porte listadas na bolsa) precisa ler os balanços trimestrais e os anuais das empresas. Olhar o índice de endividamento, lucro líquido e volume de vendas são os providências mais importantes

Diversificação
As small caps podem ser compradas com o intuito de diversificar a carteira. Portanto, elas não podem ser maioria. Segundo administradores de investimentos, o ideal é que haja no máximo 10% da carteira de ações em pequenas empresas

Poucas
Para carteiras de até R$ 20 mil, especialistas recomendam a compra de, no máximo, duas pequenas e médias empresas diferentes, devido à necessidade de acompanhar de perto as oscilações dos papéis



Leia Também