Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Acadêmicos protestam contra preços cobrados em restaurante da UFMS

15 SET 10 - 13h:55

anahi zurutuza

Debaixo de chuva, estudantes da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) realizaram ontem, em Campo Grande, protesto contra o valor cobrado pelas refeições oferecidas pelo Restaurante Universitário (RU). Com panelas e apitos, acadêmicos fizeram “barulho” em frente à reitoria da instituição e entregaram uma carta contendo os pedidos da categoria.
Segundo estudantes, o restaurante, que era mantido com recursos da universidade, hoje, é administrado por uma empresa privada que, por meio de licitação, conquistou o direito de explorar o serviço. A refeição, no local, custa de R$ 6 a R$ 8. “Desde 1998, a universidade não subsidia mais as refeições para os universitários. A instituição recebe dinheiro do Plano Nacional de Assistência Estudantil (Pnaes) para subsidiar tanto a parte de alimentação, quanto o transporte e moradia dos alunos. Cadê o dinheiro?”, questiona o acadêmico do segundo ano de Jornalismo da UFMS e coordenador do Centro Acadêmico de Comunicação Social da universidade, Rafael de Abreu.
Os estudantes defendem que a UFMS custeie parte do valor cobrado pela empresa responsável pelas refeições do restaurante, para que os acadêmicos paguem R$ 1 pelo prato feito do RU.

Outro lado
A UFMS confirmou, por meio da assessoria de imprensa, que não mantém mais o Restaurante Universitário desde 1998. A universidade recebe R$ 1,6 milhão anualmente para gastos com alimentação. Em 2008, ficou definido que a verba seria usada para custear benefícios para ajudar os estudantes carentes.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Malafaia diz que atribuir vitória de Bolsonaro a Olavo é 'simplesmente ridículo'

BRASIL

Brasil e EUA assinam acordo que permite uso comercial de Alcântara

BRASIL

Witzel anuncia rompimento de contrato de concessão do Maracanã

PDV deve priorizar servidor com menos tempo de serviço
DEMISSÃO VOLUNTÁRIA

PDV deve priorizar servidor com menos tempo de serviço

Mais Lidas