domingo, 15 de julho de 2018

Acaba prazo do vazio sanitário da soja em MS

1 OUT 2010Por 00h:00

Cícero Faria, Dourados

Terminou ontem o período do vazio sanitário de soja, que começou no dia 1º de julho, como prevê a Lei Estadual 3.333. Durante esses 90 dias ficou proibido o plantio da cultura, embora em Mato Grosso do Sul não haja registro de uma segunda safra da oleaginosa, para evitar a propagação do vírus da ferrugem asiática.
Outra exigência da legislação, sob pena de multa, é que os produtores fizessem a destruição, mecânica ou com agroquímico, das plantas remanescentes de soja, as chamadas guaxas ou tigueras, para evitar a sobrevivência na ferrugem na época da entressafra.
E os agricultores na região de Dourados que plantam com recursos próprios, ou seja, não recorrem aos bancos,  poderão começar a semeadura nesta primeira semana de outubro, aproveitando a forte umidade do solo, depois das fortes chuvas que duraram quatro dias.
Para os que financiam a safra de verão junto às instituições bancárias deverão aguardar até o dia 15, início da época recomendada dentro do zoneamento agrícola de risco climático, elaborado pela Embrapa Agropecuária Oeste (CPAO), sediada em Dourados. A obediência ao zoneamento é obrigatória para que o seguro rural tenha validade em caso de perdas por intempéries.
De acordo com a estação agroclimatologica da Embrapa, de domingo até quarta-feira, choveu 157,8 milímetros em Dourados, acumulando em setembro precipitações de 177,8 mm, depois de várias semanas de estiagem.
Somente em Dourados, a assistência técnica prevê que o plantio da soja ocupará área equivalente a safra passada – 140 mil hectares – embora possa ocorrer uma ligeira expansão de cultivo devido à redução dos custos de produção esse ano, de 7,7% para a soja convencional, e de  9,4% para a transgênica, conforme levantamento do CPAO. 

Leia Também