SAGE STALLONE

Abuso de remédios para emagrecer pode ter matado filho de Stallone

Abuso de remédios para emagrecer pode ter matado filho de Stallone
19/07/2012 08:50 - ego - globo


Ainda não se sabe ao certo o motivo da morte de Sage Stallone, que aconteceu na última sexta, 13, mas as autoridades desconfiam que o abuso de medicamentos para emagrecer, mais especificamente a hidrocodona, pode ter sido a causa. As informações são do site "TMZ".

O rapaz, que é filho de Sylvester Stallone, astro conhecido por sua boa forma, estaria acima do peso: 85 kg distribuídos em 1,70m. Uma fonte da polícia usou o fato como argumento para defender a tese de que o rapaz não era viciado em drogas. "Ele era gordinho e viciados em drogas são quase sempre magérrimos", disse.

Fontes disseram ao site que as autoridades não encontraram um único comprimido de hidrocona na casa de Sage. No entanto, eles encontraram mais de 60 gigantescas garrafas vazias do remédio. Cada frasco contém um mínimo de 500 comprimidos, ou seja, mais de 30.000 comprimidos podem ter sido ingeridos por Sage.

Investigadores vão tentar rastrear de onde vieram os medicamentos utilizando números de lotes e números de série, mas há uma "grande probabilidade" de os comprimidos terem sido enviados de fora do país.

Sylvester Stallone se encontrou com o famoso investigador particular Scott Ross na terça, 17. Ross vai fazer sua própria investigação para tentar descobrir a causa de morte de Sage.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".