NATUREZA

Aberta exposição fotográfica sobre pontos turísticos

Aberta exposição fotográfica sobre pontos turísticos
30/08/2012 09:34 - CG Notícias


Parque das Nações Indígenas, Lago do Amor, Via Morena, Imbirussú/Serradinho, Praça Esportiva da Orla Morena. São esses os principais temas da exposição fotográfica promovida pela Prefeitura de Campo Grande, aberta na Estação Ferroviária nesta quinta-feira (30). As imagens fotográficas são de autoria dos repórteres fotográficos Denilson Secreta e David Majjela.

Para Denilson Secreta que registrou, em suas fotos, instantes da natureza e numa de suas imagens o pôr-do-sol da Capital, “Campo Grande está entre as cidades mais arborizadas do país e nela concentra uma grande quantidade de pássaros que fazem revoadas no amanhecer e no crepúsculo. Nós vivemos na zona urbana e podemos conviver com várias espécies de pássaros, entre eles a arara e canários da terra. Este espetáculo tem que ficar eternizado em fotografias”, considera.

Já o repórter fotográfico David Majela preferiu registrar os pontos turísticos, o desenvolvimento de Campo Grande e as obras edificadas em meio à natureza. “Um exemplo de preservação está na obra do Imbirussu/Serradinho, que liga a Nova Campo Grande até o Bairro José Abrão. Nossa Capital está se desenvolvendo com grandes avenidas, mas os pássaros continuam fazendo as revoadas”, comenta.

A exposição fotográfica foi montada com apoio da Secretaria Municipal de Governo e Relações Institucionais (Segov) e Fundação Municipal de Cultura (Fundac). A Estação Ferroviária está localizada na Avenida Calógeras, ao lado do Armazém Cultural.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".