Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

sexta, 15 de fevereiro de 2019 - 17h10min

A música foi gravada pela banda exclusivamente para o Linkin Park 8-Bit Rebellion, game que está di

27 ABR 10 - 07h:50
BRASÍLIA

O ministro José Gomes Temporão (Saúde) recomendou ontem que as pessoas façam sexo como uma das alternativas para prevenir problemas de hipertensão. A afirmação foi feita durante entrevista coletiva em que ele apresentou dados que mostram um aumento na proporção de brasileiros com a doença.

Primeiro ele brincou dizendo que, além de cinco porções diárias de frutas e hortaliças, as pessoas deveriam fazer sexo cinco vezes por dia ou por semana. Ao final, recomendou: “Dancem, façam sexo, mantenham o peso, façam atividades físicas e, principalmente, meçam a pressão arterial.”
A doença, que avançou no País e agora atinge 24,4% da população, está associada a fatores genéticos, hábitos alimentares, obesidade e estresse. “Fazer sexo ajuda”, sentenciou o ministro. “As pessoas têm que se mexer. A pelada do final de semana não deve ser a única atividade. Os adultos devem praticar exercícios, caminhar, dançar, fazer sexo seguro”, repetiu.

De acordo com o levantamento apresentado, a proporção de brasileiros com hipertensão subiu de 21,5%, em 2006, para 24,4% no ano passado. Os dados, levantados por meio de 54 mil entrevistas feitas por telefone, consideram alta a pressão arterial igual ou superior a 14 por 9. O Rio de Janeiro é o Estado com maior número de hipertensos (28%), seguido por São Paulo (26,5%).

Os dados mostram ainda que o aumento do número de hipertensos ocorreu em todas as faixas etárias, mas os idosos são os mais atingidos: 63,2% têm o problema. Entre a população até 34 anos, os números não passam de 14%. Já dos 35 anos aos 44 anos, a taxa é de 20,9%. Dos 45 aos 54 anos, chega a 34,5% e dos 55 aos 64 anos, totaliza 50,4%.

O estudo mostra ainda que a proporção de hipertensos é maior entre as mulheres - 27,2% contra 21,2% entre os homens. Além disso, quanto menor a escolaridade, maiores são os casos diagnosticados. Entre os adultos com oito anos de escolaridade, por exemplo, o índice é de 31,5%, enquanto entre os com nove, dez ou 11 anos de estudo soma 16,8%.
Diante desses números, o Ministério lançou ontem, quando foi lembrado o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão, uma campanha de alerta contra o problema. Serão investidos nessa iniciativa 1,5 milhão. Cartazes com orientações de prevenção e tratamento serão distribuídos e peças deverão ser veiculadas em emissoras de rádio e TV de todo o País.

A principal mensagem da iniciativa é: prevenir a pressão alta depende de escolhas individuais, como escolher alimentos saudáveis, manter peso ideal, exercitar-se com regularidade e reduzir o consumo de sal.
A hipertensão é causada pelo aumento na contração das paredes das artérias para fazer o sangue circular pelo corpo. O movimento acaba sobrecarregando órgãos como o coração, os rins e o cérebro. Se não for tratada, a hipertensão pode provocar complicações como o entupimento de artérias, acidentes vasculares cerebrais (AVC) e infartos.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Deputados de MS convocam Aneel para explicar aumento na luz
CONSUMO

Deputados convocam Aneel para explicar aumento na luz

Prefeito fiscaliza atendimento nos postos de saúde da Capital
UPA LEBLON

Prefeito fiscaliza atendimento nos postos de saúde da Capital

Chuva transforma rua em rio  de lama no Jardim Monte Alegre
NA LAMA

Chuva transforma rua em rio de lama no Monte Alegre

Acusado de envenenar café de agentes penitenciários é absolvido
JÚRI POPULAR

Acusado de envenenar agentes penitenciários é absolvido

Mais Lidas