CIDADES

A cada 3 mortes, uma vítima estava de moto

A cada 3 mortes, uma vítima estava de moto
30/07/2010 08:04 -


Silvia Tada

De cada três mortes registradas no trânsito de Campo Grande, de janeiro a junho deste ano, um era motociclista. Conforme estatísticas do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MS), que leva em conta as mortes ocorridas no local do acidente, 22 pessoas morreram nas ruas da Capital, sendo que oito, ou 36%, estavam em motos. Os óbitos dos pilotos aconteceram nos meses de fevereiro (2 casos), abril (3) e maio (3).
Os números envolvendo motociclistas comprovam os riscos envolvendo este tipo de condução. No mesmo período do levantamento, de um total de 2.900 acidentes com vítimas, 1.369, equivalente a 47%, eram com motociclo ou motoneta. O número de vítimas chegou a 2.029, que corresponde a 54,3% das 3.730 pessoas feridas nos primeiros seis meses do ano.
Em junho, quatro pessoas morreram vítimas de acidentes, uma a menos que no mesmo período do ano passado (queda de 20%). Desses, dois eram pedestres e dois eram ciclistas. No total, 716 pessoas ficaram feridas, sendo que 389, ou 54% estava em motos.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".