Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

À beira da crise, Palmeiras enfrenta o Barueri

31 MAI 09 - 10h:36

        Da redação

         

Abalado pelo empate por 1 a 1 com o Nacional, na quinta-feira, o Palmeira tenta neste domingo esquecer a Copa Libertadores para não fazer feio no Brasileirão. Com quatro pontos em três jogos, o objetivo é um só: vencer O Barueri, às 18h30, na Arena Barueri, e recuperar o moral perdido com o tropeço frente aos uruguaios.

 

O próximo confronto pela competição continental será apenas no dia 17. Em Montevidéu, o Palmeiras terá de mostrar um futebol mais competitivo e sem erros, se ainda sonha em conquistar o mesmo troféu que levantou em 1999. Até lá, as atenções terão de se voltar para o campeonato nacional. Vão ser três jogos, a começar pelo Barueri, que ainda não venceu - dois empates e uma derrota.

 

Um tropeço hoje complicaria ainda mais a situação palmeirense. O volante Pierre admite que mal dormiu após o empate com o Nacional. Na sexta-feira, tentava mostrar confiança, apesar de seu semblante entregar o desânimo. "Temos de manter a cabeça no lugar", falou. "A vitória vai ser boa para elevar nossa confiança para o jogo da Libertadores", complementou, destacando em seguida os próximos desafios no Brasileiro. "Temos de diferenciar as competições e lembrar de que o momento agora não é de Libertadores."

 

É inegável que os jogadores não conseguem esquecer a partida de volta pelas quartas de final. "Já queríamos que fosse na quarta-feira", disse Pierre, angustiado com a espera.

 

Vanderlei Luxemburgo vai promover mudanças hoje. A principal delas deve ser no ataque. Obina, em jejum de gols desde novembro, quando jogava pelo Flamengo, entrou bem na quinta-feira e tem boas chances de ganhar vaga ao lado de Keirrison. "Em cada jogo eu vou lutar e fazer de tudo para que o Palmeiras saia com a vitória", disse o atacante, um dos poucos que receberam o apoio da torcida na última partida.

 

Como Maurício Ramos está suspenso, a tendência é a de que o treinador opte por um esquema com apenas dois zagueiros. Com essa formação, Diego Souza volta a atuar na posição que gosta e rende mais: um meia que arma e aparece na frente.

 

Como companheiro de Keirrison, Diego Souza some em campo. "Temos muito tempo para treinar até o jogo com o Nacional. Enquanto isso temos de subir para o pelotão de elite no Brasileiro", afirmou o camisa 7.

 

A última vitória palmeirense foi justamente na estreia do Brasileiro, contra o Coritiba - última vez também que Keirrison balançou as redes. Depois, o time perdeu para o Sport na Libertadores (e conquistou a vaga para as quartas na decisão por pênaltis), perdeu para os reservas do Internacional e empatou com São Paulo e Nacional. Hoje, tem a chance de retomar o caminho.

 

Com informações do Estadão

         

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Felpuda

BRASIL

Envolvimento de agentes de saúde pode acelerar diagnóstico de câncer

BRASIL

Tratamento para doenças raras precisa de investimentos em pesquisa

BRASIL

Motorista embriagado invade lanchonete, atropela 4 e mata jovem

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião