Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

70% dos assentados do Itamarati produzem leite, além de outros produtos

22 FEV 10 - 03h:31
Em entrevista ao Correio Rural, o presidente da Cooperativa dos Assentados do Itamarati (Cooperai), Cloves Tomacheski, entidade que congrega 212 associados, disse que 70% dos seus sócios produzem leite. “Mas o preço que recebemos é muito pequeno para cobrir todos os custos de produção. Defendo a implantação de um laticínio para atender os assentados da região. Dessa forma economizaríamos, especialmente porque não existiria transporte e frete”. Os pequenos produtores ligados a Cooperai entregam diariamente para os laticínios, todos distantes do local de produção, uma média de dois mil litros de leite. Tomacheski disse que os preços variam de R$ 0,36 a R$ 0,38. “Com esse valor que o produtor recebe fica muito difícil para cobrir os custos de produção. Hoje a compra de medicamentos para o gado representa uma despesa significativa”, afirma ele. Disse, também, que já está em estudo a implantação de um laticínio para pasteurizar o leite produzido nos lotes dos assentamentos rurais. “Temos recebido o apoio da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul através da professora Miriam Aveiro. No primeiro momento, o laticínio estaria preparado para receber e processar quatro mil litros/dia”, ressalta. Tomacheski diz que, se os assentados tiverem o laticínio própriom como já acontece em outras cidades, o produtor poderá ter um rendimento de até R$ 0,70 por litro, o que dobraria a renda. Ele fala que o objetivo das famílias é aumentar ainda mais a produção, principalmente com a liberação dos recursos do Pronaf para investimentos nessa área. Um dos pontos que fazem crescer o interesse dos assentados é a intenção já manifestada pela Prefeitura Municipal de Ponta Porã em adquirir 8 mil litros de leite por mês para abastecer as escolas e creches. “Com um laticínio próprio, também vamos negociar com as escolas estaduais, universidades e o comércio local. É claro que não temos condições para competir com as grandes indústrias, mas vamos fazer a nossa parte”. Outra liderança do Itamarati, Rony Lino Miranda, disse que o leite vem a cada ano se firmando como uma excelente fonte de renda para as famílias de pequenos proprietários rurais. “Nos assentamentos essa é uma renda importantíssima para todas as famílias, que no final do mês precisam pagar as contas de energia, do supermercado, a farmácia, entre outros gastos. Vamos lutar pela implantação do laticínio para que os produtores possam ter um ganho maior”.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Atraso do Reviva prejudica <br>comércio e 35 lojas já fecharam
CAMPO GRANDE

Atraso do Reviva prejudica comércio e lojas fecham

Banco será  responsável por aditivo <br>em obra do Reviva Centro
REVIVA CAMPO GRANDE

Banco será responsável por aditivo
em obra do Reviva Centro

Sanesul pode perder concessão de serviços de saneamento em Dourados
IMPASSE

Sanesul pode perder concessão de serviços em Dourados

CORREIO DO ESTADO

Confira o editorial desta quarta-feira: "Ganância desenfreada"

Mais Lidas