Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ACESSOS

65% usam smartphones para navegar na web

65% usam smartphones para navegar na web
22/02/2014 00:00 - FOLHAPRESS


O número de internautas que usaram celulares para acessar a web cresceu 19% no ano passado e atingiu cerca de 65% do total dos usuários, ou 944 milhões de pessoas, segundo dados do estudo GlobalWebIndex. Os acessos via tablet aumentaram 45%, para 450 milhões de internautas (29% do total).

O estudo considera um levantamento feito com 170 mil internautas de 16 a 65 anos, em 32 mercados, no quarto trimestre.

O relatório coloca o Android como o principal sistema operacional usado nos acessos. A ferramenta do Google foi escolhida por 65% dos usuários no mundo. No Brasil e na Polônia, os principais mercados para a marca, a participação chega a 80%.

Em seguida aparecem o iOs, da Apple, com 20% do total e o sistema BlackBerry, com 5% de participação.

O levantamento mostra que os usuários compartilham seus dispositivos móveis. Metade dos que possuem tablets o dividem com ao menos uma pessoa. Pouco mais de 20% dos internautas também emprestam seus smartphones.

A prática é mais comum entre crianças de seis a 11 anos e às pessoas que não moram sozinhas. Não há indicação de que o fenômeno seja motivado por uma questão econômica, já que não há relação entre renda e o hábito de compartilhar os dispositivos.

Cerca de metade dos usuários indicaram preocupação com a privacidade na web e se mostraram resistentes em compartilhar dados com outras pessoas.

De acordo com o estudo, 11% dos usuários já possuem uma smart TV e 7% adquiriram um leitor de livros digitais.

Internautas entre 25 e 34 anos predominam o grupo dos que preferem tablet para fazer o acesso e costumam ter maior renda. 

Felpuda


Outrora afinadíssimo com o presidente Jair Bolsonaro, parlamentar sul-mato-grossense começou a ser escanteado em consequência de uma das crises políticas de grande repercussão. A figura entrou em campo e botou falação sobre o que estava ocorrendo, e isso soou que só como crítica pesada ao governo, que, como não poderia deixar de ser, não gostou nadica de nada. Há quem diga que o dito-cujo é muito levado “pelo sangue”. Então, tá!...