quarta, 18 de julho de 2018

30% param de fumar em 1 mês

5 OUT 2010Por 03h:11

A taxa de fumantes que deixam o vício no primeiro mês é de 30% em Campo Grande. “Os 70% restantes apresentam uma mudança de comportamento como diminuir o número de consumo de cigarros; adoção de uma atividade física e também a volta ao programa para mais tentativas para largar o cigarro”, cita a gerente do Programa de Prevenção e Controle do Tabagismo, Maria Leonete Simioli.
Ela explica que não há prazo para terminar o tratamento. “Não há restrições para o fumante permanecer no tratamento por mais de um mês”.  Todos os medicamentos são custeados pelo Ministério da Saúde, que também envia material didático para as reuniões. A Secretaria Municipal de Saúde, por sua vez, dispõe de suas instalações para as consultas e equipe multidisciplinar.
Para aumentar a rede, no próximo ano a secretaria vai convocar os profissionais como psicólogos, assistentes sociais e enfermeiros aprovados em concurso público neste ano. No interior do Estado, o programa também está ativo e acontece em parceria com as secretarias municipais de saúde locais.

Locais
As unidades que oferecem o tratamento em Campo Grande são as seguintes: Centro de Especialidades Médicas (CEM); Unidades Básicas de Atendimento do Bonança, Vila Nasser, Carlota e Coophavila 2; nos Postos de Saúde da Família do Parque do Sol, Marabá, Itamaracá e Serradinho; nos Centros de Atendimento Psicossociais (Caps) do Aero Rancho, Vila Margarida, Planalto e Jardim dos Vendas, além de Hospital do Coração (Clínica Campo Grande), Hospital Universitário, Hospital Regional e Santa Casa.   
A Lei Antifumo, em vigor na Capital, proíbe o uso de tabaco em estabelecimentos de uso coletivo fechados e abertos – esses que tenham pelo menos uma parede, ou telhado. As multas para os estabelecimentos que forem autuados podem chegar a R$ 600. (MR)

Leia Também