Quinta, 18 de Janeiro de 2018

2009: o ano que o grunge voltou a dar as caras

27 DEZ 2009Por 11h:00
     

        Da redação

        O ciclo do rock fisgou as camisas de flanela e os bermudões. 2009 também vai ser lembrado como o ano em que o grunge voltou a dar as caras. Perto do final do ano, Pearl Jam e Alice In Chains lançaram discos impecáveis. Também no segundo semestre, o tão esperado concerto do Nirvana no festival de Reading em 1992, na Inglaterra, foi recuperado, e o livro de fotos "Grunge", de Michael Lavine tomou as lojas americanas com prefácio de Thurston Moore, vocalista e guitarrista do Sonic Youth. Cada lançamento teve seu papel neste quebra-cabeça que colocou a cidade de Seattle, nos Estados Unidos, novamente nas páginas de jornais e revistas.
        O primeiro produto desta nova-velha safra é o grupo Alice in Chains, que chegou cercado de dúvidas e indagações. A banda lançava seu primeiro CD depois de 14 anos sem o vocalista Layne Staley, morto em 2002 em decorrência de uma overdose por drogas. O substituto do insubstituível Staley foi William DuVall, amigo do guitarrista Jerry Cantrell, parceiro de Layne nas letras do grupo de Seattle. Em 2007, DuVall entrou para o posto de cantor da banda e fez turnês pelos Estados Unidos. Em setembro deste ano, o álbum "Black Gives Way to Blue" chegou surpreendendo crítica e público. O quarto disco do Alice in Chains emula a antiga sonoridade do grupo. É arrastado sem cansar, lúgubre sem deprimir. A revista americana "Rolling Stone" falou o seguinte sobre a música "Check My Brain": "é pegajosa como os antigos sucessos e a faixa-título - um tributo a Layne Staley com a participação de Elton John - é linda e acalma após a tempestade".
        O nono disco de estúdio do Pearl Jam, lançado em outubro, também é um exercício de transporte do tempo. Backspacer leva o ouvinte de volta aos anos 90. Canções como "Speed of Sound" e "Just Breath" trazem o cheiro e a atmosfera molhada de Seattle. "Got Some" e "Supersonic" bebem do punk, são energéticas. O vocalista Eddie Vedder canta por um mundo melhor e acerta novamente. O jornal britânico "Guardian" escreveu que "o quarteto de Seattle poucas vezes soou com tanta energia... este é um disco de homens maduros que sabem o que querem e pra onde apontar".
        A cereja do bolo veio com o lançamento do mítico show do Nirvana no Reading Festival no dia 30 de agosto de 1992. CD e DVD aterrissam para saciar os perseguidores de Kurt Cobain (1967-1994) e companhia. Pirateado desde o ano em que o show foi realizado, o concerta chega pela primeira vez remasterizado. Esta sempre foi considerada uma das melhores performances do Nirvana, tanto que Lithium já havia sido apresentada no video "Live! Tonight! Sold Out!!", de 1994, e "Tourette?s" fez parte da coletânea ao vivo póstuma "From the Muddy Banks of the Wishkah", de 1996.
        Livro traz fotos inéditas - Para completar o jogo, o livro "Grunge", com fotos de Michael Lavine e texto introdutório de Thurston Moore foi lançado nos Estados Unidos contando em imagens a vida roqueira de Seattle desde 1983. Fotos de nomes como Soundgarden, Tad, Butthole Surfers, Beat Happening, entre tantos outros famosos e anônimos entretêm o leitor em 160 páginas.
        Thurston Moore explica a evolução desse movimento: "Quando a grande mídia colou o rótulo ?grunge? ao nosso universo, um grito coletivo de horror escapou da boca de todo mundo. Mas agora, olhando para o passado, é um tipo de maravilhamento ver como eu comecei ainda garoto a fotografar com uma câmera no meio do nada e termino com a honra de ser testemunha e documento de como aquilo foi uma poderosa peça da história do rock".  (informações do Estadão)

Leia Também