sexta, 20 de julho de 2018

Presídio de Trânsito

11 presos votam na Capital e, no 1º turno, escolheram Dilma

1 NOV 2010Por anahi zurutuza04h:14

Dos 20 presos provisórios habilitados para votar neste segundo turno das eleições 2010, 11 compareceram à urna instalada no Presídio de Trânsito (Petran), em Campo Grande, para exercer o direito de escolher o próximo presidente do Brasil. Os outros nove, de acordo com a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), foram soltos antes da eleições. Esta é a primeira vez que detentos brasileiros ainda não condenados têm a oportunidade de votar. No dia 3 de outubro, 13 dos mesmos 20 detentos aptos a votar exerceram o direito e, segundo o mesário, todos votaram em Dilma Rousseff (PT).

Em Mato Grosso do Sul, de acordo com o diretor-presidente da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), o coronel Deusdete Souza de Oliveira Filha, pelo menos 3 mil presos ainda não foram sentenciados e, portanto, teriam o direito ao voto. Contudo, o projeto de instalar seções eleitorais especiais dentro dos presídios e delegacias do Estado foi executado, nestas eleições, em caráter experimental e somente os internos do Petran tiveram a oportunidade de votar. "Vamos ampliar para os outros municípios onde estiverem os provisórios nas próximas eleições", garantiu.

Para o coronel, a parceria firmada entre a Agepen, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE/MS) e a Defensoria Pública para que presos do Estado pudessem votar foi positiva. A seção instalada no Petran funcionou ontem das 8h às 17h.

Leia Também