10 mil protestam no Afeganistão contra queimar Alcorão

10 mil protestam no Afeganistão contra queimar Alcorão
11/09/2010 09:15 -


     

        Milhares de pessoas protestaram no oeste do Afeganistão neste sábado contra a ameaça do pastor norte-americano Terry Jones de queimar o Alcorão, gritando "morte à América". Os manifestantes também atearam fogo em lojas e postos policiais, disseram oficiais da polícia.

        

        

        O porta-voz do governador da província de Logar, Din Mohammad Darwish, disse que a polícia atirou para o ar em advertência para evitar que os manifestantes entrassem na residência do governador. Segundo ele, não há registro de feridos. Ele disse que uma estrada que liga o Afeganistão ao Paquistão foi temporariamente bloqueada pelos manifestantes.

        

        O vice-chefe da polícia da província, Nabi Charkhi, afirmou que mais de 10 mil pessoas participaram do protesto na capital da província, Puli Alam. Ontem, pelo menos 11 pessoas ficaram feridas em protesto semelhante no Afeganistão.

        

        O pastor Terry Jones, que anunciou que queimaria o Alcorão no aniversário dos atentados de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos, viajou da Flórida para Nova York ontem. Seu filho disse que a queima do alcorão não ocorreria sábado, mas não revelou quando eventualmente ocorreria.

         

        (Informações do Estadão)

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".