Sexta, 15 de Dezembro de 2017

Para Greenpeace, veto parcial ao Código Florestal foi 'insuficiente'

26 MAI 2012Por terra07h:00

A organização não-governamental ambiental Greenpeace se declarou decepcionada com o anúncio dos 12 vetos presidenciais ao Código Florestal nesta sexta-feira. A organização esperava um veto total à proposição que chegou do Congresso Nacional e achou a decisão tomada pela presidente Dilma Rousseff "insuficiente".

"O que a gente queria era que existisse o veto total. Essa é a única afirmação que a gente tira daqui: o veto total não vai ser feito nessa lei, vão ser feitas reformas nessa lei. Isso é absolutamente insuficiente", avaliou o coordenador da campanha Amazônia do Greenpeace, Márcio Astrini.

Para ele, a entrevista coletiva convocada para explicar as alterações feitas pela presidente não foi esclarecedora. "A gente esperava que o governo divulgasse alguma coisa, vimos apenas um discurso do governo e a conclusão que a gente chega é de que hoje o Brasil dorme sem saber qual é o texto do código florestal que vai ser alterado pela caneta da Dilma", disse.

"É uma decepção não só nossa, não só dos ambientalistas, mas também de toda a população brasileira. Primeiro, por a Dilma não ter vetado na integralidade o texto e segundo porque divulgou que haverá vetos, mas não divulgou qual a extensão desses vetos e qual será a nova lei", lamentou Astrini.

Durante a entrevista coletiva, o advogado-geral da União explicou que o governo não iria adiantar à imprensa a lista dos artigos vetados antes de comunicar ao Congresso Nacional. A mensagem do Executivo ao Legislativo só será feita na próxima segunda-feira.

Leia Também