Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sábado, 15 de dezembro de 2018

Ministério Público aponta monopólio e concessão de TV é cancelada

17 NOV 2013Por FOLHAPRESS16h:15

A Justiça Federal em Mato Grosso cancelou a concessão da TV Pantanal, retransmissora da Record em Cáceres (220 km de Cuiabá). Segundo o Ministério Público Federal, em tese acolhida pela Justiça, a empresa integrava um monopólio no setor de comunicação sob o comando da família do deputado federal Pedro Henry (PP-MT), condenado a sete anos e dois meses de prisão no caso do mensalão. A família nega a posse da retransmissora -para a Procuradoria, a posse era exercida por meio de contratos em nome de "laranjas". Apesar de negar participação na empresa, todos os réus na ação (membros da família Henry, empresa e supostos laranjas) concordaram com o cancelamento da concessão pedido pelo MPF.
A família de Pedro Henry, de acordo com a ação da Procuradoria, detém duas emissoras de televisão (TV Pantanal e TV Descalvados), além de uma rádio (Rádio Clube de Cáceres) em Cáceres, base eleitoral do grupo.

"O monopólio de radiodifusão fere a livre iniciativa e concorrência, a liberdade de escolha do consumidor e até a soberania nacional", escreveu a procuradora da República Vanessa Ribeiro na ação.  A TV Descalvados e a Rádio Clube foram compradas em 1995 por Ricardo Henry, irmão de Pedro Henry. A Pantanal, segundo a ação, passou ao controle do grupo em 2004, por meio de "contratos simulados e escusos". "As investigações realizadas identificaram um contrato de gaveta em que foram mantidos os nomes de sócios 'laranjas' no controle da TV Pantanal [...] para evitar a configuração do monopólio", relata a ação. A compra da empresa, que então pertencia a rivais políticos da família, foi descrita na ação como estratégia para "neutralizar opositores" e evitar a veiculação de conteúdos desfavoráveis durante a campanha eleitoral daquele ano.

Apontados como "laranjas", os sócios Ervides Klauk e Jorge Souza mais tarde simularam, segundo o MPF, a venda de suas cotas na TV para Sérgio Granja de Souza (antigo sócio de Ricardo Henry na TV Descalvados) e seu filho, Hélio de Souza Vieira Neto. "Assim, os membros da família Henry passaram a controlar três veículos de comunicação social que operam na cidade de Cáceres", diz a ação da Procuradoria. Entre os réus na ação constam a mulher, a filha, o irmão e um sobrinho de Pedro Henry. Por meio do escritório de advocacia que representa a todos, a família negou participação societária na TV Pantanal.

A concessão foi cassada com a anuência de todos os réus, a partir de um pedido feito pelos sócios oficialmente constituídos, Sérgio Granja e seu filho. Eles disseram que a operação do canal estava "inviável" em razão de "dívidas de seus antecessores". Mesmo sem reconhecer participação no negócio, a família Henry também concordou com a medida. A decisão do juiz federal Mauro Patini é do último dia 4 de setembro. Procurada, a assessoria do deputado Pedro Henry disse apenas que o congressista não tem participação nas empresas citadas.
A reportagem não conseguiu contato com os outros réus citados na sentença.
 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também