Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CAPITAL

Interno da Máxima é encontrado morto<BR> e polícia investiga suposto homicídio

Cena de suicídio pode ter sido simulada, afirmou delegado
26/06/2017 17:30 - MARIANE CHIANEZI e GLAUCEA VACCARI


 

José Alves do Ouro Filho, de 31 anos, foi encontrado morto em cela do pavilhão dois, no Presídio de Segurança Máxima, em Campo Grande. Cena do crime inicialmente é tratado como suicídio, mas indícios encontrados também apontam para homicídio.

Neste ano já foram pelo menos quatro mortes confirmadas na unidade prisional da Capital, além de uma em Naviraí.

O interno cumpria pena por tráfico de drogas e foi encontrado morto depois de tomar banho de sol, no lado externo de um mictório.

Conforme o delegado Paulo Sá, perícia foi feita no local e o fato de haver duplo sinal de corda no corpo da vítima e a impossibilidade de uma auto-execução no local onde José foi encontrado levanta a possibilidade de suicídio ter sido simulado.

"É muito comum no interior do presídio acontecer um homicídio e os autores ou autor encenarem um auto-extermínio para colocar a culpa na própria vítima" afirmou Sá.

Caso seja comprovada a suspeita de assassinato, o responsável pelo crime tentará ser identificado e ele poderá responder por homicídio.

José Alves respondia a crimes que foram investigados no município de Três Lagoas e tinha sido notificado em maio pela Justiça Estadual a pagar multa por condenação no valor de R$ 27.661,21, além de R$ 247,40 de custas processuais.

Felpuda


Dois pedidos de desculpas, de autorias diferentes, foram assuntos muito comentados nas redes sociais com críticas ácidas às suas declarações, até porque os envolvidos não só os usaram despropositadamente, como tiveram de voltar a eles para se redimirem. Um deles, inclusive, quase criou uma crise política da-que-las, o que obrigou seu pai, figurinha carimbada, a pular miúdo para colocar panos quentes sobre a questão. Essa gente!...