Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Execução

Dono de cão que não pagar imposto terá animal morto em cidade da Suíça

12 JAN 11 - 15h:30Época Negócios

Reconvilier tem uma população de aproximadamente 2,2 mil pessoas e 280 cães. As autoridades justificam a medida extrema como parte do esforço para recuperar centenas de milhares de dólares em taxas não pagas. Segundo Némitz, uma lei de 1904 permite à administração da vila matar os cachorros dos donos inadimplentes.

A imposição pegou tão mal na cidade que as autoridades alegam já ter recebido ameaças de morte depois do anúncio. Némitz, porém, defende a medida. “O objetivo não é uma execução em massa de cães, mas sim pressionar quem não colabora”.

As autoridades defendem que o assassinato dos animais de estimação seria apenas o último recurso, após uma longa lista de penalizações. Mas se depender de Némitz, os cachorrinhos não contarão com muita piedade. Em entrevista ao jornal suíço “Le Matin” (confira o texto em francês na íntegra aqui), o presidente do Conselho Municipal falou um pouco sobre qual seria o método de execução escolhido. “Há cerca de 30 anos, quando tivemos de resolver um problema sanitário de pessoas que viviam em condições deploráveis com cachorros, optamos por dar um tiro na cabeça dos animais. Eles não sofreram. Injeções letais são um sentimentalismo”. Némitz prometeu, no entanto, que as autoridades veterinárias serão consultadas antes do ato final.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

FUNCIONÁRIOS E CLIENTES

Explosão em empresa de gás deixa quatro mortos em Boa Vista

ELIAS MALUCO

STF derruba liminar concedida a traficante que matou Tim Lopes

POLÍTICA

'Infieis' vão à Justiça para que possam deixar PDT e PSB sem perder mandato

Senado aprova divisão de recursos do pré-sal com estados e municípios
MEGALEILÃO DO PETRÓLEO

Senado aprova divisão de recursos do pré-sal

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião