Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Emergência

Dilma encerra reunião com Cardozo e não fala com a imprensa

21 JUN 13 - 13h:14AGÊNCIA BRASIL

A reunião entre a presidente Dilma Rousseff e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, já foi encerrada sem que nenhum comunicado fosse feito à imprensa. Convocada ontem (20), após a presidente ter cancelado viagens ao Japão e a Salvador, a reunião com o ministro teve como pauta as manifestações que reuniram mais de 1 milhão de pessoas nas ruas do país. A assessoria da Presidência não informar se houve participação de outros ministros.

As manifestações de ontem foram comentadas também pelo ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, em outro evento ocorrido de manhã no Palácio do Planalto. Segundo ele, o governo terá de “correr atrás” para atender “ao novo padrão de exigência” e demandas que estão surgindo nas manifestações populares.

Segundo ele, a atitude do governo federal, desde o primeiro momento, foi “ir ao encontro das manifestações, abrir o Palácio para conversas com lideranças, tendo a compreensão de que se trata de um novo tipo de movimento, um novo tipo de liderança e de uma nova forma de organização”. Carvalho informou, ainda, que a presidenta deverá se pronunciar em breve sobre as manifestações. 

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Consórcio entrega mais 20 novos ônibus nesta segunda
TRANSPORTE PÚBLICO

Consórcio entrega mais 20 novos ônibus nesta segunda

Inscrições para mestrado e doutorado da UFGD terminam em novembro
ENSINO SUPERIOR

Inscrições para mestrado e doutorado vão até novembro

Corregedor nacional inspeciona TJ e atende público nesta segunda
É AMANHÃ!

Corregedor nacional de Justiça inspeciona TJ e atende público

PRÓ-DEMOCRACIA

Milhares de manifestantes voltam às ruas de Hong Kong

Área de Kowloon foi palco das piores cenas de violência

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião