Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, segunda, 21 de janeiro de 2019

educação

Dez mil alunos zeraram no segundo dia de provas do Enem

16 JAN 2011Por folha online16h:04

O Ministério da Educação informou no sábado (15) que cerca de 10 mil provas do segundo dia do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) foram anuladas porque os alunos não assinalaram corretamente a versão dos seus exames na folha de respostas. O volume representa 0,3% do total.

Segundo o MEC, os estudantes não marcaram ou assinalaram mais de uma cor (eram quatro, cada uma representando uma versão). A nota do Enem é usada no ingresso ao ensino superior.

Para a pasta, a maioria dos alunos que se queixa da falta da nota está nesse grupo.

Estudantes vêm relatando, desde quinta-feira, que tiveram zeradas as notas de português, matemática e redação. Mas, ao contrário do que diz o ministério, eles garantem que identificaram corretamente a cor da prova.

É o caso de Micael Bispo, 17, que fazia o Enem pela primeira vez. "Lembro bem de ter marcado [a versão do exame]. O pior é foi o dia que eu tinha me saído melhor."

O MEC, no entanto, diz ter conferido a situação de cerca de 200 alunos que haviam reclamado da situação e confirmou o erro dos estudantes.

No primeiro dia do exame, 7 mil alunos zeraram -eles podem ou não estar entre os 10 mil do dia seguinte.

Candidatos têm também discordado da nota da redação. "Geralmente faço bons textos. Mas tirei a mesma nota que meu irmão, que praticamente copiou partes dos textos de apoio", diz Ronalde Batista de Lima Jr., 22.

O MEC não divulga a resposta esperada. Pelo edital, os textos são corrigidos por ao menos dois professores.

ACESSOS

Desde quinta-feira (13), alunos que esqueceram a senha que dá acesso ao resultado vêm enfrentando problemas para recuperá-la. A demora chegou a sete horas. A dificuldade persistia ontem. O MEC diz que a melhor forma de obter o novo código é por SMS.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também