MEMÓRIA

Em 1977, briga contra poluição faz nascer o Indubrasil

Distrito industrial é marco da criação de MS
27/06/2019 10:00 - RAFAEL RIBEIRO


 

ACONTECEU EM 1976...

No final da década de 1970, o crescimento da cidade de Campo Grande já justificava a destinação de um local apropriado para a instalação de indústrias.

E em 1977, às vésperas da divisão do Estado, o Correio do Estado mostrava o drama vivido pelos moradores da saída para Aquidauana da BR-262, na região oeste da futura capital, com o grande número de indústrias que se alojaram na região.

"Excesso de poluição é tortura para 2 mil famílias", diz a manchete da edição do dia 24 de junho, onde é mostrado que graças à ação conjunta entre moradores e Câmara de vereadores, viria a ser desenvolvido o distrito de Indubrasil, setor industrial de Campo Grande.

A rivalidade existente entre o norte e o sul do então Mato Grosso unificado teve papel fundamental para a criação do Núcleo Industrial do Indubrasil.

“Nesse período havia uma disputa muito forte entre Campo Grande e Cuiabá. Como o Garcia Neto, governador de Mato Grosso na época, criou um distrito industrial em Várzea Grande. A ‘resposta’ do então prefeito de Campo Grande, Levy Dias, foi a criação do Núcleo Industrial do Indubrasil”, lembrou o economista Eduardo Marcos da Silva, ao Correio em 2017, quando da comemoração dos 40 anos do distrito.

Em 1977, foi implantado então pela Prefeitura de Campo Grande, o Núcleo Industrial do Indubrasil: uma área de 200 hectares localizada na região oeste da Capital, nas margens da rodovia BR-262, que conta com 80 lotes (de 5 mil a 10 mil metros quadrados), nos quais se instalaram empreendimentos industriais que revelam alguns dos caminhos do desenvolvimento econômico do município e do Estado.

Em 1982, a área foi repassada e passou a ser administrada pelo Governo do Estado.

Eduardo Silva, que foi presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso do Sul (Codems) - na época, vinculado à Secretaria de Estado de Turismo, Indústria e Comércio (atual Semagro) – conta que a primeira empresa que se instalou no local foi a Fertisul - Adubos Ipiranga, indústria de adubos nitrogenados. Atualmente o local abriga um curtume. A existência de ramal ferroviário no Núcleo atraiu outras empresas do setor, como a Adubos Guano, que se instalou em 1977 e ainda mantém suas atividades e a Indústria de Adubos Paulista (hoje desativada).

 
 

 

*SOBRE O AUTOR: Rafael Ribeiro é jornalista desde 2004, graduado pela Faculdade Cásper Líbero (SP). Paulistano, mora em Campo Grande desde 2016 e também é graduado em História pela Universidade de São Paulo, com mestrado em Estudos Brasileiros pela Fundação Escola Paulista de Sociologia e Política de São Paulo.

**Rotineiramente nossa equipe convida você, leitor, a embarcar com a gente na máquina do tempo dos 65 anos de história do jornal mais tradicional e querido de Mato Grosso do Sul para reviver reportagens, causos e histórias que marcaram nossa trajetória ao longo desse rico período. Você encontrará aqui desde fatos relevantes à história do nosso Estado até acontecimentos curiosos,que deixaram nossas linhas para fomentar, até hoje, o imaginário da população sul-mato-grossense. Embarque com a gente e reviva junto conosco o que de melhor nosso arquivo tem a oferecer.

E você leitor, gostaria de relembrar um fato, uma reportagem, uma história de nossa história. Nos envie sua sugestão pelo nosso whatsapp: (67) 99922-6705.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".