FUTEBOL

Zagueiro "gigante" de 2,04 m marca e dá passe para vitória de time da Série B1 do RJ

Zagueiro "gigante" de 2,04 m marca e dá passe para vitória de time da Série B1 do RJ
16/06/2017 11:49 - GloboEsporte.com


 

Marcado por casos inusitados e até mesmo por fatos bizarros, o arquivo de histórias curiosas da Série B1 do Campeonato Carioca ganhou mais um capítulo nesta quinta-feira, na vitória por 2 a 1 do Itaboraí, fora de casa, sobre o Serra Macaense, pela sexta rodada da Taça Santos Dumont.

Azulão estava sendo derrotado por 1 a 0 pelo time de Macaé no estádio Moacyrzão, até os 10 minutos do segundo tempo - o gol foi marcado por Elton, de pênalti, na etapa inicial. Eis, então, que surge um herói improvável para a partida: o zagueiro Fabão. Do alto dos seus 2 metros e 4 centímetros de altura, o defensor "gigante" mudou seu posicionamento na geografia do gramado para se aventurar no ataque e foi determinante na reação dos visitantes com um gol e uma assistência.

Mas engana-se quem pensa que, por conta do tamanho do "gigante" do Itaboraí, o gol foi marcado de cabeça. Como manda o figurino de um "atacante oportunista", o "zagueirão" surgiu atrás da defesa do Serra Macaense para mandar a bola para as redes com os pés - o calçado, tamanho 48, claro, ajudou.

Com a igualdade no marcador, aí, sim, o defensor se fez valer da sua estatura. Dividiu a bola com dois marcadores no alto, na entrada da área, e escorou de cabeça para o atacante Edu virar a partida e garantir a vitória do Azulão, aos 24 minutos da segunda etapa.

Muito brincalhão e sem esconder a felicidade pelo feito, Fabão, que no currículo acumula passagens por America-RJ, Vasco, Ituano, Angra dos Reis, Linense e fez carreira na Ásia, onde atuou por nove anos. O "zagueirão', que afirma não ter conhecimento sobre nenhum jogador tão alto no país, falou sobre como é ver todos os adversários de "cima”.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".