Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

FUTEBOL

Vasco sofre com punição no tribunal, mas tem mês redentor em campo

Vasco sofre com punição no tribunal, mas tem mês redentor em campo
29/07/2017 14:45 - FolhaPress


 

Se julho ficará marcado pelas cenas de barbárie no clássico com o Flamengo que resultaram em seis perdas de mando de campo e uma interdição de 180 dias a São Januário, também trará o lado positivo que atesta a redenção do Vasco em campo. Isso porque, neste mês, a equipe reduziu consideravelmente a média de gols sofridos, deixou de ser a defesa mais vazada do Campeonato Brasileiro e, de quebra, ainda obteve suas primeiras vitórias fora de casa.

Antes de julho, o time tinha uma média de dois gols sofridos por jogo, que foi reduzida agora para um. Com sua rede balançada 26 vezes, o Vasco agora já foi ultrapassado por Chapecoense, 28, e Vitória e Atlético-GO, 29.

Os primeiros triunfos longe de seus domínios foram contra o Vitória, por 4 a 1, e no último domingo (23), diante do Atlético-MG, por 2 a 1. Foi também em julho que o time conseguiu seu primeiro ponto como visitante, quando empatou em 2 a 2 com o Coritiba.

Com a defesa mais ajustada e ainda no aguardo da estreia do zagueiro Anderson Martins, o técnico Milton Mendes pede apenas que a equipe tenha mais atenção no início dos jogos, uma vez que já sofreu quatro gols antes dos 10 minutos nesta competição.

"Atenção não é treinável. É lembrada. Conversamos sobre isso. Porque quando se entra num jogo e toma gol com um minuto e meio, a estratégia vai toda abaixo. Conversamos e chegamos à conclusão de que é muito importante o foco, a determinação no momento. Houve certa acomodação no meu ponto de vista. Eles entenderam que precisamos de um pouquinho mais de foco no início dos jogos", disse.

O Vasco enfrenta o Atlético-PR, nesta segunda-feira (31), no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ).

Felpuda


Alguns políticos estão se aproveitando deste momento preocupante de pandemia para sugerir projetos oportunistas que, em alguns casos, são de resultados extremamente duvidosos. O mais interessante – para não dizer outra coisa – é que se for analisado o desempenho normal dessas figuras, verifica-se que essa preocupação toda nunca esteve no topo das suas prioridades. Ano eleitoral é assim mesmo. Lamentável!