OPERÁRIO

Treinador pede concentração e prevê mudanças

Treinador pede concentração e prevê mudanças
09/09/2015 10:45 - jones mário


 

Concentração é a palavra-chave nos treinos do Operário durante esta semana, em Campo Grande. A derrota para o Aquidauanense na última rodada da Série B Estadual, por 2 a 0, não estava nos planos do técnico Chiquinho Lima, que agora busca recuperar o nível de atenção da equipe para o jogo do próximo sábado, contra o Campo Grande, no Estádio Jacques da Luz.

“Faltou concentração em momentos cruciais da partida em Aquidauana. Nós não podemos abrir mão do jogo da forma como fizemos”, destacou o treinador operariano. Na tarde de ontem, Chiquinho Lima comandou treino tático no clube Dalpiaz e deu indícios de que pode fazer alterações na equipe para a partida de sábado.

“Eu coloco meu time em campo de acordo com o adversário. Diante de determinada equipe, posso precisar de um atleta com características diferentes daquele que atuou no jogo anterior, por exemplo”, pontuou Lima.

Com uma série de jogadores já experientes no futebol sul-mato-grossense, como o lateral-direito Robinho e o meio-campista Agnaldo, o técnico do Operário ainda busca alternativas para surpreender os adversários. “Tenho que procurar artifícios, fazer alterações. Nosso grupo é conhecido e o rival joga tentanto anular nossos pontos fortes”, continua.

O Operário tem três pontos e é vice-líder do grupo A da divisão de acesso à elite do futebol estadual. O Campo Grande também tem três e está na terceira colocação da chave, enquanto o Pantanal não somou pontos. O Aquidauanense tem a ponta, com seis pontos ganhos.

O jogo contra o Campo Grande acontece às 15h de sábado, no Jacques da Luz, com ingressos a R$ 10.

 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".