Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, segunda, 17 de dezembro de 2018

AMISTOSO

Tite cita 'grau de dificuldade maior' e elogia Arábia Saudita antes de duelo

11 OUT 2018Por FOLHAPRESS14h:41

Ainda que muitos questionem o nível técnico da seleção da Arábia Saudita para o amistoso com o Brasil nesta sexta-feira (12), o técnico Tite vê aspectos positivos e um nível de exigência considerável no adversário. O duelo será às 15h30 (de Brasília), no estádio King Saud University, em Riade.

Diplomático diante da imprensa árabe, em entrevista coletiva concedida nesta quinta-feira (11), o treinador chegou a falar em "grau de dificuldade maior" ao analisar o próximo adversário do Brasil.

"[Um time que] Traz níveis de exigência, a Arábia Saudita é equipe móvel, de qualidade de passe, não é uma equipe estática, pragmática. Isso gera grau de dificuldade maior. Ela rompe linhas, ataca espaço, não é uma equipe pesada. É uma característica diferente, à qual teremos de nos adaptar. Ela me dá oportunidades de conhecer atletas diferentes, com estruturas táticas às vezes diferentes", avaliou Tite.

Os sauditas disputaram a última Copa do Mundo, na Rússia, e não passaram da fase de grupos. A seleção foi goleada pelos russos por 5 a 0, no jogo de abertura da competição, perdeu por 1 a 0 para o Uruguai e cumpriu tabela batendo o Egito por 2 a 1.

Apesar dos pontos positivos enxergados por Tite, os primeiros compromissos da seleção brasileira pós-Copa têm gerado críticas pela fragilidade dos adversários. Na data Fifa de setembro, venceu os Estados Unidos por 2 a 0 e goleou El Salvador por 5 a 0 sem ser ameaçada em campo.

O treinador, no entanto, preferiu exaltar a diversidade de estilos do futebol mundial. "Buscamos sempre possibilidade de ter enfrentamentos. A disponibilidade de equipes importantes, de continentes diferentes. Vamos trabalhando nessas diferenças, contra equipes asiáticas. Pegamos Japão, Inglaterra, Croácia. Estamos em busca desses adversários, europeus ou de outros países, que são importantes", avaliou.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também