EM SÃO PAULO

Times de MS são maioria na elite do Campeonato Brasileiro de futebol PC

Modalidade é voltada a paratletas paralisados cerebrais,
24/05/2019 16:33 - JONES MÁRIO


 

A primeira divisão do Campeonato Brasileiro de futebol de 7 PC, modalidade voltada a paratletas paralisados cerebrais, terá três equipes de Mato Grosso do Sul. Com dez participantes, o torneio começa na segunda-feira (27), no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo (SP).

Vice-campeão em 2018, o Centro Arco-Íris de Reabilitação Alternativa (Caira) é um dos favoritos ao título. O time de Campo Grande tem dois atletas da seleção brasileira, Heitor e Cesinha. O segundo foi campeão mundial com a seleção brasileira sub-19 e artilheiro isolado das Paralimpíadas Escolares, em 2018.

A Associação de Atividades e Valorização e Apoio ao Desporto Educacional e Adaptado de Mato Grosso do Sul (Ativa-MS) também conta com reforço de seleção, Wesley. O paratleta foi chamado duas vezes para períodos de treinamento com a equipe nacional este ano.

O Estado ainda tem a Associação Campo-grandense Paradesportiva Driblando as Diferenças (ADD-MS) como representante no Brasileiro.

O trio disputa o título com o atual campeão, Vasco, além de APBS/Corinthians, Amaped/Praia Clube-RJ, Cetefe-DF, Mohciped-DF, Cepe-SC e seleção chilena. A equipe estrangeira participa como convidada, a fim de fazer intercâmbio com os brasileiros. Assim, suas partidas serão amistosas.

Conforme guia divulgado pela Associação Nacional de Desporto para Deficientes (Ande), o congresso técnico da competição será realizado no domingo (26). As finais estão marcadas para sexta-feira (31).

As partidas do Brasileiro devem servir de laboratório para a comissão técnica da seleção brasileira. Este ano, o País disputa o Campeonato Mundial de futebol de 7 PC, de 4 a 20 de julho, na Espanha, e também os Jogos Parapan-Americanos de Lima, no Peru, em agosto.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".