PAULISTÃO

Tiago Nunes mira estreia e diz que Corinthians pode ser tetra estadual

Timão fará sua estreia na competição na quinta-feira, diante do Botafogo
19/01/2020 14:05 - AGÊNCIA ESTADO


 

Após participar da Florida Cup, o Corinthians agora volta suas fichas para a estreia no Campeonato Paulista. A expectativa é grande no elenco, até pela possibilidade da conquista do quarto título estadual consecutivo. Nas últimas três temporadas, o clube ganhou a competição com vitórias em cima dos rivais Ponte Preta (2017), Palmeiras (18) e São Paulo (19).

Para o técnico Tiago Nunes, que assumiu o Corinthians nesta temporada, o Campeonato Paulista será tratado com muito carinho, até pela possibilidade de alcançar esse feito inédito. "O Corinthians sempre vai disputar o título, é natural, seria inédito um tetracampeonato. Então estou ansioso para estrear em uma competição tão legal."

O comandante sabe que o Corinthians ainda está em início de temporada e por isso o torcedor terá de ter um pouco de paciência com o desempenho da equipe. No sábado, o time perdeu para o Atlético Nacional, da Colômbia, na disputa da Florida Cup Tiago Nunes gostou do poder de criação da equipe, mas garante que a maratona de partidas neste início de ano será pesada.

"Vamos treinar neste domingo cedo em Orlando, viajar à noite e chegar em Viracopos na segunda-feira. Vou deixar como dia livre para os atletas, pois eles estão distantes de suas famílias e precisam de uma recuperação física também. Treinamos terça e quarta e vamos ver a recuperação de todos", explicou o treinador, que fará sua estreia no Paulistão na quinta, contra o Botafogo.

 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".