Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quinta, 15 de novembro de 2018

Ex-piloto da F1

Sato faz história, supera Castroneves e vence 500 Milhas de Indianápolis

28 MAI 2017Por MotorSport17h:20

As 500 Milhas de Indianápolis conta com mais um país em seu hall de vencedores: o Japão. O ex-piloto da F1, Takuma Sato venceu pela segunda vez na categoria, a primeira em circuito oval na tarde deste domingo (28). O triunfo veio após intensa batalha com Helio Castroneves nas voltas finais.  

O brasileiro terminou na segunda posição e buscava a quarta vitória em Indy. O outro brasileiro da prova, Tony Kanaan, finalizou em quinto, atrás de Ed Jones e Max Chilton.

A prova teve a participação de Fernando Alonso, que largou em quinto, chegou a liderar, mas voltou a ter pesadelos com o motor Honda, que estourou faltando 21 voltas para o fim.

A corrida também foi marcada pelo forte acidente com Scott Dixon, que atingiu Jay Howard após o britânico bater no muro. O piloto da Chip Ganassi voou e bateu seu carro de cabeça para baixo no muro de proteção. Ambos não sofreram lesões e saíram caminhando. 

A Corrida

A largada da 101ª edição das 500 Milhas de Indianápolis foi limpa e Scott Dixon manteve a ponta. Alonso caiu para a nona posição, Tony Kanaan saltou para a quarta e Helio Castroneves caiu para o 21º lugar.

Mas logo, o piloto baiano assumiu a ponta, na sétima volta, fazendo a dobradinha da Ganassi com o neozelandês. O vencedor de 2016, Alexander Rossi, ocupava a terceira posição.

Na 28ª volta, Kanaan fez sua primeira parada programada, abrindo o ciclo de pit stops em bandeira verde. No reposicionamento, Ed Carpenter assumiu a liderança, com Alonso em terceiro, Tony em quarto e Castroneves em 12º.

Mas logo o espanhol sentiu o gosto de liderar uma Indy 500, deixando Carpenter para trás no 38º giro.

A primeira amarela veio na 54ª volta, com o forte acidente entre Dixon e Jay Howard. O britânico bateu no muro e foi para o meio da pista, com o pole da prova acertando o carro #77. Em seguida, ele capotou e acertou o muro de cabeça para baixo. Ambos os pilotos saíram caminhando e a bandeira vermelha foi acionada, para limpeza da pista e reparos no alambrado.

Mais de meia hora depois, a corrida voltou ao status de bandeira amarela e em seguida, a relargada foi dada com Alonso na ponta. Mas o espanhol foi superado por Takuma Sato, Rossi e Ryan Hunter-Reay.

A segunda interrupção veio pelo acidente de Conor Daly, que foi para o muro e por Jack Harvey, que se perdeu e foi parar no lado interno da pista.

A esta altura, Kanaan era o sétimo e Castroneves aproveitou para ir aos pits.

A prova foi reiniciada na volta 75, quando Rossi voltou à liderança, sendo superado depois por Hunter-Reay.

A terceira bandeira amarela foi acionada na volta 81, por um detrito que saiu do carro de Marco Andretti. Na volta, Power, Max Chilton e Helinho relargaram na frente, por não terem parado durante a amarela.

Quase na metade da prova, Helinho assumiu a liderança, superando Hunter-Reay, mesmo tendo a asa traseira direita quebrada, como resultado do acidente de Dixon.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também