Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BRASILEIRÃO

Santos vence mais uma e entra na briga pelo G4

Santos vence mais uma e entra na briga pelo G4
03/09/2015 22:11 - bandf


 

O Santos entrou de vez na briga por uma vaga no G4 do Campeonato Brasileiro. Nesta quinta-feira, o Peixe recebeu a Chapecoense e venceu por 3 a 1. Essa foi a terceira vitória seguida da equipe, que chegou aos 33 pontos e está a apenas três do Atlético-PR, atual quarto colocado.

Em grande fase, o Santos foi amplamente superior a Chapecoense durante toda a partida e pouco foi assustado pelo adversário. A primeira chance foi logo aos quatro minutos de jogo, com Ricardo Oliveira. O artilheiro do Brasileirão marcaria mesmo aos 15, aproveitando de primeira o cruzamento de Marquinhos Gabriel.

Aos 28 minutos o atacante recebeu na área e forçou a passagem, caiu e o arbitro assinalou pênalti. O próprio Ricardo Oliveira foi para a cobrança, mas o goleiro Danilo defendeu. Apesar do gol não marcado, o Santos seguiu melhor e não se abateu.

Na segunda etapa o Santos aumentou o placar aos 13 minutos com um golaço de Geuvânio. O atacante recebeu na esquerda, cortou para o meio e deu um chutaço no ângulo. Depois do segundo gol, o jogo caiu um pouco de ritmo.

Mas aos 30 minutos o artilheiro do campeonato voltaria a aparecer. Zeca cruzou da esquerda e Ricardo Oliveira subiu no meio da zaga catarinense para testar pro gol. Muito superior, o santos relaxou e deixou a Chapecoense melhorar.

Aos 37 minutos Vanderlei fez grande defesa em chute de Camilo, mas não evitou o gol de Neto no minuto seguinte. O zagueiro, ex-santista, aproveitou cobrança de escanteio para marcar com o pé direito, mas não houve tempo para mais nada. Agora o Santos é o 8º com 33 pontos. A Chapecoense está na 12ª posição, com 28.

Felpuda


Alguns políticos estão se aproveitando deste momento preocupante de pandemia para sugerir projetos oportunistas que, em alguns casos, são de resultados extremamente duvidosos. O mais interessante – para não dizer outra coisa – é que se for analisado o desempenho normal dessas figuras, verifica-se que essa preocupação toda nunca esteve no topo das suas prioridades. Ano eleitoral é assim mesmo. Lamentável!