Campo Grande - MS, domingo, 19 de agosto de 2018

FUTEBOL

Santos faz acordo com fundo e fica confiante em manter Lucas Lima

7 OUT 2017Por FOLHAPRESS23h:00

Em processo arbitral que corre em sigilo, o Santos chegou a um acordo com o fundo Doyen e conseguiu evitar um bloqueio de cerca de R$ 16 milhões em suas contas programado para a última sexta.

Os detalhes são mantidos em sigilo devido a cláusulas de confidencialidade nos contratos: a briga envolvia todos os acordos entre clube e fundo, entre eles os contratos de Lucas Lima e Geuvânio. A exceção é o compromisso com Leandro Damião, que estava na Justiça Comum, também sob sigilo.

O acordo entre Santos e Doyen foi selado após diversas reuniões entre o presidente Modesto Roma e os advogados do clube com os representantes da Doyen na Europa. Espanha e Inglaterra foram os países que "sediaram" as negociações.

A novidade empolga o Santos na negociação com o meia Lucas Lima, que encerra seu contrato com o clube em dezembro deste ano. Caso o camisa 10 aceite a proposta de renovação santista para receber R$ 600 mil por mês, o clube paulista terá uma porcentagem maior em relação aos direitos econômicos de seu "maestro".

Com o acordo, a ideia é que o clube fique com parte do percentual de 80% que era do fundo e repasse outra parte ao próprio atleta, conseguindo com isso convencê-lo a permanecer.

Antes de se aproximar da Doyen, período em que a empresa era tratada até como inimiga, o Santos não via chance alguma de aumentar a sua fatia de Lucas Lima. Hoje, o clube paulista detém apenas 10% dos direitos, enquanto a Doyen possui a maior parte, os 80%. O restante pertence a empresa de Edson Khodor, um dos representantes do jogador.

A expectativa é que o presidente Modesto Roma já revele essa possibilidade no lançamento de sua candidatura neste sábado (7), às 11 horas (de Brasília), em evento na Chancelaria da Universidade Santa Cecília, que pertence ao ex-presidente do Santos, Marcelo Teixeira, um dos apoiadores de Modesto.

A campanha continuará com o tema Santos Gigante, em homenagem ao ex-presidente Modesto Roma, pai do atual mandatário, que era conhecido por Gigante da Vila.

Leia Também