Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quinta, 15 de novembro de 2018

Futebol

Resposta de Guto Ferreira a mulher em coletiva gera mal-estar e desculpas

19 JUL 2017Por FolhaPress07h:48

Uma resposta de Guto Ferreira à jornalista Kelly Costa, da RBS TV, na entrevista coletiva que sucedeu a vitória do Inter sobre o Luverdense pela Série B, na terça-feira (18), foi acusada de ter cunho machista. O treinador não retrucou a questão da repórter com outra pergunta porque 'ela é mulher e talvez não tenha jogado futebol'. Através das redes sociais, sobraram manifestações sobre o caso.

A pergunta de Kelly era referente à pressão sobre os jogadores. Nas chances desperdiçadas, admitidas por Guto na coletiva, seria erros meramente técnicos ou algo além disso? O treinador começou sua manifestação citando o gênero de quem o havia questionado.

"Não vou te responder com uma pergunta porque você é mulher e talvez não tenha jogado [futebol]. Mas todo jogador que joga, tem dificuldades de ter uma tensão a mais no lance final. Precisa acertar para ter confiança. Se você já jogou para perceber isso, mas de repente trouxe a resposta mais para a situação de analisar nesta forma. O avanço na confiança é muito importante. Não é treinamento só, isso eles estão fazendo, é ter a possibilidade de, sob pressão, conseguir que a bola entre. Daí fazer de novo e de novo", disse o treinador.

Guto percebeu que errou no tom da resposta. Tanto que tão logo acabou a coletiva, ainda na zona mista do Beira-Rio, pediu desculpas à jornalista pela resposta dada na entrevista.

Através das redes sociais, o técnico foi acusado de machismo. Não foram poucas as críticas à colocação, que gerou revolta também entre as repórteres presentes na entrevista.

Em campo, o Internacional venceu o Luverdense por 1 a 0 e atingiu o 5º lugar na classificação da Série B.

VITÓRIA

Guto Ferreira elogiou a atuação do Inter na vitória por 1 a 0 sobre o Luverdense. Segundo ele, a tranquilidade está faltando na hora de marcar os gols e a vitória magra acabou sendo justa.

"Saio sabendo que da maneira que vencemos podemos trazer uma força mental para superar algumas situações que existem dentro do Beira-Rio. Temos que voltar a jogar assim para que os gols que tivemos chance aconteçam mais cedo, trazendo tranquilidade ao time", afirmou o jogador.

A pressão é evidente. O Internacional começou a rodada como segunda pior campanha como local na segunda divisão. Está fora da linha de classificação e três pontos atrás do primeiro lugar.

"É claro de pressão de jogar no Beira-Rio e estamos rompendo esta pressão. Um desempenho bom com o Criciúma, um empate importante, e hoje com desempenho, sim, mas com gol no final e vencemos", disse. "Tem que ter tranquilidade no jogo para ter posse, infiltração, concretizar as chances. Não é porque é Série B que os jogos serão fáceis. Não é pelo status do Inter que vamos golear todos os jogos. A medida que cresce a confiança, podemos fazer resultados melhores. A medida que consigamos uma sequência de vitórias... A briga é sempre pela próxima e melhorar sempre", completou.

O Internacional encara o Vila Nova-GO no próximo sábado. O jogo será disputado no estádio Serra Dourada às 16h30 (de Brasília).

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também