TÊNIS

Rafael Nadal volta a defender a Espanha na Copa Davis

Rafael Nadal voltou a ser convocado pela equipe espanhola após dois anos de ausência
08/09/2015 16:45 - GAZETA ESPORTIVA


 

Rafael Nadal e David Ferrer estão de volta ao time espanhol da Copa Davis. Juntos, os dois não defendem a equipe nacional há quatro anos e a missão é vencer a Dinamarca pela permanência no Grupo I do zonal europeu. Além deles, a capitã Conchita Martínez confirmou nesta terça-feira os nomes de Fernando Verdasco, Roberto Bautista Agut e David Marrero, este último como quinto jogador.

Dono de 14 títulos de Grand Slam, Rafael Nadal não defende a equipe nacional desde 2013, quando a Espanha venceu, por 5 a 0, a Ucrânia, pelas eliminatórias da Davis, na Caixa Mágica, em Madri. Já David Ferrer esteve disponível para Conchita na derrota para a Rússia, por 3 a 2, há dois meses, em Vladivostok.

Pelo ranking mundial, Ferrer, sétimo colocado, será o número 1 e Nadal, oitavo na lista da ATP, jogará como o número 2 do conjunto espanhol, que enfrentará os dinamarqueses de 18 a 20 de setembro, fora de casa, na cidade de Odense. A vitória evita o descenso à terceira divisão da Davis e assegura a disputa, no ano que vem, para regressar ao Grupo Mundial.

O anúncio foi feito por Conchita no Estádio Olímpico de Barcelona, onde ela antecipou que Nadal e Verdasco jogarão duas vezes. Feliciano López (19º do mundo), que seria naturalmente um dos selecionados, ficou de fora por ainda estar disputando do Aberto dos Estados Unidos, em que disputará as quartas de final contra o líder do ranking, o sérvio Novak Djokovic, nesta terça-feira. O espanhol optou pela ausência por conta da maratona de partidas que teria de enfrentar e preferiu reservar-se ante seus próxims compromissos em Kuala Lumpur, Tóquio e Xangai.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".