Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

FUTEBOL 2019

Ponte alega interferência externa e pedirá anulação de jogo da Copa do Brasil

13 FEV 19 - 18h:45FOLHAPRESS

O jogo que marcou a eliminação da Ponte Preta da Copa do Brasil na noite da última terça-feira (12), contra o Aparecidense-GO, em Aparecida, deverá parar nos tribunais. Derrotado por 1 a 0, o clube campineiro irá recorrer ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pedindo a anulação da partida em virtude de interferência externa sobre a arbitragem -o que é proibido pelas regras da competição.

A eliminação da Ponte Preta contou com ares dramáticos no fim da partida e muita polêmica. Depois de Uéderson abrir o placar a favor do Aparecidense ainda na etapa inicial, a Ponte Preta chegou a (quase) empatar a partida aos 44min do segundo tempo, mas o gol não valeu.

O atacante Hugo Cabral, que havia entrado no intervalo, aproveitou rebote e mandou a bola para as redes, mas em posição de impedimento. O gol, inicialmente, foi validado, e jogadores, comissão técnica e até diretoria do Aparecidense partiram para cima do árbitro, que solicitou policiamento.

Depois de alguns minutos, o árbitro Léo Simão Holanda (CE) voltou atrás e cancelou o gol da Ponte Preta, agora gerando revolta dos jogadores do time paulista e precisando mais uma vez de policiamento. O jogo ficou paralisado por 16 minutos até ser reiniciado.

"Ficou claro que árbitro corrigiu um erro com outro, porque havia validado o gol e só voltou atrás por interferência externa, o que pela regra não pode. VAR só tem na fase final e a TV tem imagem do delegado da partida entrando no campo, falando com árbitro e assistente, quarto arbitro. É nítido que as regras foram quebradas", diz o executivo de futebol Marcelo Barbarotti.

Imagens do canal Sportv mostram o auxiliar Samuel Oliveira da Costa, responsável pelo lance que gerou polêmica, se aproximando do delegado da partida, Adalberto Greco, que coloca a mão na frente da boca e diz algo. O assistente, então, segue em direção ao árbitro da partida.

O departamento jurídico da Ponte Preta já está levantando todas as imagens e áudios para acionar o STJD o mais rápido possível. O dirigente chegou a citar o caso que envolveu a final do Paulistão de 2018, em que o Palmeiras tentou impugnar o jogo contra o Corinthians alegando interferência externa. Após duas negativas do Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo, o STJD analisou e arquivou o pedido alviverde.

"A Copa do Brasil é apontada como a competição mais democrática do país, mas as regras precisam ser seguidas. Ninguém está discutindo o impedimento em si e sim interferência do delegado da partida. Tivemos algo similar na final do Paulista e temos a convicção que fomos prejudicados ontem. Estamos pedindo a anulação em respeito ao clube e ao torcedor, em busca de uma moralização. O delegado não tinha esse direito", completou Barbarotti.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Última rodada do Brasileirão traz briga para fugir do rebaixamento
FUTEBOL

Última rodada do Brasileirão traz briga para fugir do rebaixamento

Prass anuncia saída do Palmeiras após 7 anos: 'Não foi da maneira como planejei'
BRASILEIRÃO

Prass anuncia saída do Palmeiras após 7 anos: 'Não foi da maneira como planejei'

CATAR

Fifa muda estádio da estreia do Liverpool e da final do Mundial de Clubes

Justiça mineira determina que Cruzeiro x Palmeiras seja com torcida única
BRASILEIRÃO

Justiça mineira determina que Cruzeiro x Palmeiras seja com torcida única

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião