CONTRATO ROMPIDO

Patrocínio do McDonald's ao Comitê Olímpico Internacional chega ao fim

Patrocínio do McDonald's ao Comitê Olímpico Internacional chega ao fim
16/06/2017 17:18 - Terra


 

Após parceria de 41 anos, a empresa McDonald's decidiu deixar de patrocinar o Comitê Olímpico Internacional (COI), rompendo o contrato de apoio aos Jogos Olímpicos três anos antes do esperado, segundo informações do COI.

A companhia norte-americana, patrocinadora dos Jogos Olímpicos desde 1976 e parte do programa de principais patrocinadores do COI que contribuem com mais de um bilhão de dólares a cada ciclo de quatro anos, tinha contrato em vigor até 2020, incluindo a Olimpíada de Tóquio.

"No mundo de negócios de hoje que avança rapidamente, nós entendemos que o McDonald’s esteja procurando focar em diferentes prioridades de negócios. Por essas razões, nós concordamos mutuamente com o McDonald’s em nos separar", disse Timmo Lumme, diretor de Televisão e Serviços de Marketing do COI, em comunicado.

A diretora de Marketing do McDonald's, Silvia Lagnado, disse no comunicado do COI: "Como parte de nosso plano global de crescimento, nós estamos reconsiderando todos os aspectos de nossos negócios e tomamos essa decisão em cooperação com o COI para focar em diferentes prioridades".

O McDonald's, que se associou aos Jogos Olímpicos pela primeira vez em 1968, era o patrocinador de varejo de alimentos.

Apesar de se retirar com efeito imediato, o McDonald's vai continuar nas Olimpíadas de inverno de Pyeongchang no próximo ano como patrocinador com direitos de marketing internos.

O COI disse não estar planejando um substituto direto no departamento de varejo de alimentos.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".