FUTEBOL

Operário terá “time modesto” para o Estadual deste ano, diz presidente

Alguns garotos da base subiram para o time principal e maior reforço até agora é goleiro Aranha
24/01/2020 08:30 - DAIANY ALBUQUERQUE


 

A regra este ano no Operário é manter um time modesto. Com pouco investimento, o clube virá para o Campeonato Sul-Mato-Grossense de 2020 com alguns garotos da base e uma ou outra contratação pontual, segundo o presidente do time, Estevão Petrallas.

Diferente de algumas temporadas passadas, quando o clube conseguiu contratar nomes conhecidos como o atacante Rodrigo Gral – que passou três temporadas no Galo e deixou a equipe em 2018, quando anunciou sua aposentadoria após a conquista do Estadual –, o time vem com poucas contratações.

“Nós vamos com um time bem modesto em relação a anos anteriores. A frase na moda no Operário é trabalho, não tem outro jeito, não tem outro, tem que trabalhar muito, começar do zero. O time tem uma história, mas o plantel atual precisa trabalhar, não tem outro jeito. Não vamos jogar com a história, então estamos bem conscientes de que o trabalho é que vai dar a dignidade aos resultados”, disse o presidente.

A apresentação oficial da equipe deverá acontecer na próxima semana, poucos dias antes da estreia no Estadual, contra o Pontaporanense, que está marcado para domingo (2) e deverá ocorrer no estádio Morenão, em Campo Grande, caso ele seja liberado pelo Ministério Público Estadual.

Segundo Petrallas, o goleiro Aranha, que já atuou no Estadual pelo Aquidauanense, e o voltante Rilber são algumas das contratações acertadas até agora. “A gente não fechou todas elas [contratações]. Estamos com um número grande de garotos da base, diferente de alguns anos, que tinham jovens, mas em um número inferior ao desse ano. Três deles inclusive já estão incorporados na equipe principal”, contou.

Os meninos que já começam com o time principal são os atacantes Vinícius e Rilber e o volante Elber. “A expectativa é fazer um bom trabalho, como sempre fizemos. Mas com bastante pé no chão. Os favoritos hoje são o Costa Rica, o campeão Águia Negra e o Aquidauanense vice. O Operário vai participar com uma equipe modesta, mas buscando a vitória jogo a jogo”.

O técnico da equipe, Glauber Caldas, tem treinado o “time de garotos” no estádio do Cene, já que o Operário não tem sede própria. O local tem sido usado por algumas equipes da Capital porque, segundo Petrallas, há dificuldade em encontrar um campo com as medidas oficiais na cidade.

Depois de estrear em casa no Estadual, o Operário faz jogo fora contra a Sociedade Esportiva Recreativa de Chapadão do Sul (Serc), no dia 5 de fevereiro, às 15h. A partida, porém, ainda não tem local definido, já que o estádio da cidade, Ijair Tomquelsqui, ainda não foi liberado para a competição.
Situação que também acontece com outros três estádios, entre eles o Morenão, que não consta oficialmente na tabela divulgada pela Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul (FFMS). Os outros dois são o Loucão, em Maracaju, e o Luiz Soares Andrade, o Andradão, em Nova Andradina.
No caso do Morenão, a previsão é de que até hoje a promotoria do Consumidor da Capital tenha uma posição sobre a liberação ou não do estádio, já que os laudos do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Vigilância Sanitária e engenharia foram entregues.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".