SÉRIE D

Operário para na trave e no goleiro, perde e se complica

Derrota deixa o Galo como lanterna
12/05/2019 17:45 - JONES MÁRIO


 

O Operário pressionou, martelou, acertou a trave, mas perdeu para o União-MT por 2 a 0, na tarde deste domingo (12), no Estádio das Moreninhas, em Campo Grande, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro Série D. Os gols da partida foram marcados por Adinil Junior e Goteira.

O resultado deixa a equipe da Capital em situação delicada no Grupo 10 da quarta divisão. O Galo é lanterna da chave, zerado em pontos após a segunda derrota em dois jogos.

O União, por sua vez, soma seus primeiros 3 pontos e fica na terceira colocação. Anapolina-GO e Patrocinense-MG têm 4 pontos cada e dividem a liderança.

Conforme divulgado pela Rádio Esporte MS, o revés operariano foi acompanhado por 426 torcedores nas Moreninhas, para uma renda de R$ 3.940,00.

Na próxima rodada, o Operário encerra o primeiro turno contra o Anapolina-GO. A partida está marcada para sábado (18), às 17h (MS), no Estádio Jonas Duarte, em Anápolis (GO).

O União-MT vai receber o Patrocinense-MG no Luthero Lopes, em Rondonópolis (MT), na segunda-feira (20). O duelo está previsto para 20h10min (MS).

O JOGO

Derrotado na estreia pelo Patrocinense-MG (1 x 2), o Operário começou o confronto com o União a fim de se reabilitar. Logo aos nove minutos de jogo, o atacante Régis Wenzel emendou um voleio de perna esquerda que testou os reflexos do goleiro Neneca.

A equipe operariana apostava nas jogadas pelo lado esquerdo do ataque. O lateral Alan descia com frequência para apoiar as triangulações com o meia-atacante Ygor e o camisa dez Cadu. Bem encaixada, a marcação do time mato-grossense impedia as investidas do Galo.

O União tentava levar perigo nos contragolpes. Aos 33 minutos, o meia Leo Coca carregou pela esquerda, cortou para o meio e bateu colocado. A finalização assustou o goleiro Jota.

O time do técnico Celso Rodrigues voltou para o segundo tempo para abafar o rival. Cadu desperdiçou duas chances nos primeiros cinco minutos. Na primeira, atirou de fora da área para defesa de Neneca. Na segunda, dentro da área e sem marcação, concluiu fraco e para fora um cruzamento de Ygor.

Aos 17 minutos foi a vez de Régis Wenzel desviar de cabeça cobrança de escanteio, para nova boa intervenção do goleiro mato-grossense. Na sequência do lance, o meio-campista Goteira puxou contra-ataque e saiu frente a frente com Jota. O goleiro se jogou nos pés do adversário e impediu o gol.

O Operário insistia na pressão. Aos 25 minutos, o meio-campista Fernandinho invadiu a área e bateu cruzado, mas viu a bola acertar a trave. Aos 31, o chute por cima do volante Daniel Lucini resvalou no travessão.

O castigo para a torcida do Galo veio aos 34 minutos. O meio-campista Adinil, que havia acabado de entrar na vaga de Jefinho, acertou um tiro de fora da área e abriu o placar para o União. A bola quicou e enganou Jota antes de morrer no fundo da rede.

O time de Mato Grosso ainda ampliou o marcador nos acréscimos. Adinil recebeu a bola na área e foi derrubado pelo goleiro do Galo. O árbitro Paulo Cesar Zanovelli da Silva marcou pênalti, convertido por Goteira.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".