FUTEBOL 2019

Novo Código Disciplinar da Fifa dá mais poder aos árbitros para combater racismo

Novo Código Disciplinar da Fifa dá mais poder aos árbitros para combater racismo
11/07/2019 21:00 - ESTADÃO CONTEÚDO


O novo Código Disciplinar da Fifa, que foi tornado público nesta quinta-feira, vai permitir que os árbitros suspendam um jogo de futebol por incidentes racistas, podendo até mesmo dá-lo por encerrado e atribuir a derrota à equipa infratora. Depois de quase 15 anos sem grandes alterações, a entidade quer dar mais poder aos juízes e acabar com os problemas relacionados ao racismo nos estádios.

O código, desenvolvido após consulta das seis confederações de futebol e outras entidades relacionadas, introduz modificações significativas em áreas como o racismo e a discriminação que, segundo a Fifa, colocam a entidade liderada pelo suíço Gianni Infantino "na linha de frente do combate a este ataque aterrador aos direitos humanos fundamentais".

"A menos que existam circunstâncias excepcionais, se uma partida for abandonada pelo árbitro por causa de conduta racista e/ou discriminatória, será atribuída a derrota à equipa infratora", afirmou a Fifa em seu novo Código Disciplinar.

A medida pode ser aplicada depois de o árbitro aplicar o "procedimento de três etapas" para tais incidentes, o que inclui solicitar um anúncio público para exigir que tal comportamento pare, suspender a partida até que esses comportamentos parem e, finalmente, abandonar a partida definitivamente.

A entidade estipulou castigos mais pesados para jogadores e outros responsáveis que se envolvam em abusos racistas, duplicando de cinco para 10 jogos o período de suspensão, e vai criar painéis de juízes para ouvirem as vítimas de racismo e discriminação.

O novo Código Disciplinar será aplicado inicialmente apenas nas competições oficiais da Fifa, incluindo as Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022, que será realizada no Catar.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".