Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quarta, 21 de novembro de 2018

Copa das Confederações

Nova geração alemã bate o Chile
e leva taça inédita de competição

2 JUL 2017Por FOLHAPRESS17h:08

Campeã mundial, a Alemanha mostrou na Rússia que tem uma safra com a qual é capaz de se manter muito tempo brigando por títulos. Com uma equipe B e média de idade de apenas 23,9 anos, a seleção ficou pela primeira vez em sua história com o título da Copa das Confederações.

Neste domingo (2), em São Petersburgo, os alemães derrotaram o Chile por 1 a 0 para ficar com a taça.
Lars Stindl foi o autor do gol ainda na primeira etapa em uma falha terrível de Marcelo Díaz.

Com isso, chegou a três e fechou a competição como o artilheiro ao lado dos companheiros Timo Werner e Leon Goretzka. A Alemanha acabou com o melhor ataque, 12 gols marcados em cinco partidas.

Já o Chile desperdiça a chance de conquistar o maior título de sua história. Acaba também o domínio sul-americano, uma vez que o Brasil havia vencido as últimas três edições.

A Alemanha é a terceira seleção europeia a levar a taça. As outras foram a Dinamarca e França (duas vezes).
O Chile dominou completamente os 19 primeiros minutos de partida e e não permitia aos alemães passarem do meio de campo.

A posse de bola de 69% a 31% era um reflexo deste domínio. As chances apareciam ao monte aos chilenos e Ter Stegen tinha trabalho com chutes de fora da área. Em um deles, Sánchez falhou na hora de aproveitar o rebote e tocar para a rede.

Mas tudo mudou no vigésimo minuto. Marcelo Díaz cometeu um erro crasso na saída de bola e a entregou de graça para Timo Werner. O atacante teve calma para só rolar para o lado para o companheiro Lars Stindl que chegou livre para tocar para o gol e abrir o placar.

Após o gol alemão, o panorama mudou por completo. Ainda que o Chile seguisse dominando a posse de bola, a Alemanha era cirúrgica e chegava com precisão.

Foram duas chances claras de ampliar o marcador. Mas na primeira o chute de Goretzka passou raspando a trave. Na segunda, Bravo salvou com a perna.

Na segunda etapa, o Chile já não encontrava mais facilidade para propor o jogo. A Alemanha se fechava e buscava os contra-ataques e erros dos chilenos. A partida passou a ter lances mais duros e faltas.

Em uma delas, o árbitro precisou consultar o monitor após uma entrada de Jara em Werner. Mesmo com o vídeo mostrando uma cotovelada no rosto, ele aplicou somente amarelo no chileno. Isso após quase três minutos de paralisação.

Aos 28, apareceu a melhor chance do Chile até então na segunda etapa. Vargas recebeu na grande área e virou rápido, mas Ter Stegen fez defesa segura.

A partir daí, o Chile se mandou todo para afrente tentando sufocar a Alemanha. Em uma chance clara, aos 39, Sagal mandou por cima do gol.

FICHA TÉCNICA

CHILE
Claudio Bravo; Mauricio Isla, Gary Medel, Gonzalo Jara e Beausejour; Marcelo Díaz (Leonardo Valencia), Charles Aránguiz (Sagal), Arturo Vidal e Pablo Hernández; Eduardo Vargas (Édson Puch) e Alexis Sánchez. T.: Juan Antonio Pizzi

ALEMANHA
Marc-André ter Stegen; Matthias Ginter, Shkodran Mustafi e Antonio Ruediger; Joshua Kimmich, Sebastian Rudy, Jonas Hector, Leon Goretzka e Julian Draxler; Timo Werner (Emre Can) e Lars Stindl. T.: Joachim Low

Gol: Stindl, aos 20min do 1º tempo
Estádio: Arena Zenit, em São Petersburgo (Rússia)
Árbitro: Milorad Mazic (SER)

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também