AUTOMOBILISMO

Niki Lauda falece <br>aos 70 anos

Família Daimler lamenta a perda de Niki Lauda
21/05/2019 15:14 - DIVULGAÇÃO


 

A comunidade automobilística e toda a família Daimler estão de luto pela triste perda de Niki Lauda. O tricampeão mundial de Fórmula 1 e empresário faleceu na noite desta segunda-feira, dia 20, aos 70 anos de idade, cercado por seus familiares mais próximos.

“O mundo do automobilismo perdeu seu maior lutador. A família Mercedes perdeu um mentor incrível. E eu perdi um amigo verdadeiro. Obrigado Niki!”, Disse Dieter Zetsche, presidente da Daimler AG e CEO da Mercedes-Benz Cars.

Ola Källenius, CEO eleito da Daimler AG e da Mercedes-Benz AG, acrescentou: “Lamentamos a perda de uma pessoa muito especial que mostrou ter um espírito de luta fantástico. Niki Lauda alcançou um enorme sucesso e teve um inegável impacto no automobilismo. Ele era um piloto de corrida excepcionalmente talentoso e uma verdadeira inspiração como empresário.

Em 2012, Niki Lauda foi nomeado presidente não-executivo da Mercedes-Benz Grand Prix Ltd. Enquanto exercia esse papel, Niki venceu os campeonatos mundiais de Fórmula 1 de pilotos e construtores com a Mercedes-AMG Petronas Motorsport cinco vezes consecutivas entre 2014 e 2018.

"Niki sempre será uma das maiores lendas do nosso esporte - ele combinou heroísmo, humanidade e honestidade dentro e fora do cockpit", disse Toto Wolff, chefe de equipe da Mercedes-AMG Petronas Motorsport. “Niki, você é simplesmente insubstituível, nunca haverá outro como você. Foi uma honra chamá-lo de nosso presidente - e meu privilégio de chamá-lo de amigo”.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".