Campo Grande - MS, terça, 21 de agosto de 2018

Golfe

Menino de 6 anos é campeão mundial de golfe nos EUA

7 AGO 2017Por O Sul12h:18

O gaúcho Bento Assis, de 6 anos, fez história no sábado (05) ao se tornar o primeiro brasileiro campeão do Campeonato Mundial da U.S. Kids Golf, disputado em Pinehurst, na Carolina do Norte, nos Estados Unidos.

Bento somou 108 tacadas nos três dias de torneio – foram disputados nove buracos por rodada. Suas parciais foram de 34/34/40. O gaúcho precisou enfrentar no playoff o japonês Itsuki Suto, que também havia somado 108 (38/35/35). Bento ganhou de Suto no segundo buraco do desempate.

Participaram da competição na categoria de Bento 72 golfistas de até 6 anos de idade, de dez países diferentes. O Campeonato Mundial da U.S. Kids Golf foi, em 2013, tema do documentário “The Short Game”, produção da Netflix que mostrava a preparação de atletas de diversos países para a competição.

Bento começou a jogar golfe no Belém Novo Golf Club, em Porto Alegre, e atualmente vive com a família nos Estados Unidos. Em junho, Bento já havia sido campeão estadual da Flórida no Florida State Invitational, também promovido pela U.S. Kids Golf.

No mês passado, Bento foi o brasileiro melhor classificado no IMG Academy Junior World Golf Championships, ao ficar em quinto lugar em sua categoria.

Golfe feminino

A LPGA (Organização Profissional de Golfe para Mulheres) virou alvo de várias críticas depois de ter introduzido um novo e polêmico código de vestimentas para as golfistas. De acordo com a lista de proibições, as atletas não podem mais usar decote e nem saias muito curtas durante as competições pelo mundo, entre outras restrições.

A entidade do golfe feminino decidiu colocar essa regra em julho, e a jogadora que descumpri-la pode ser punida. Os decotes muito acentuados e o uso de “leggings”, a não ser que estejam por baixo de calções ou saias, são os principais pontos da criticada regra.

Já o comprimento da saia ou dos calções deve ser longo o suficiente para “não deixar aparecer nada mais íntimo por baixo dessa peça”, esteja a atleta parada ou curvada. O novo código exige ainda o uso de um traje adequado também em eventos, não só durante os jogos. Por fim, nem jeans (seja qual for a cor), nem calças tipo “joggers” são permitidas.

Qualquer transgressão ao novo código acarretará em multa de mil dólares (cerca de R$ 3,18 mil) para a primeira infração, sendo que esse valor vai se duplicando com infrações posteriores. Heather Daly-Donofrio, responsável pela assessoria de imprensa da LPGA, afirmou que “o código de vestuário das jogadoras requer que elas se apresentem de forma profissional para refletir uma imagem positiva para o jogo”.

“Embora normalmente avaliemos as nossas políticas no final do ano baseado na contribuição dos nossos jogadores, fizemos agora uns pequenos ajustamentos nesta política para levar à alteração de algumas tendências”, disse Daly-Donofrio.


 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também