Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 20 de novembro de 2018

MINI CRAQUE

Menina é tirada de torneio por "parecer menino"; Marta a convida para ir ao EUA

11 JUN 2017Por globoesporte.com03h:00

Milagros "Mili" Hernandez, 8 anos, é o exemplo do que muitas meninas ainda passam para tentar levar adiante o desejado sonho de ser uma jogadora de futebol: o preconceito.

O pai dela Gerardo Hernandez decidiu cortar seu cabelo curto para que ela não se preocupasse com isso e se dedicasse totalmente ao futebol, sua paixão. Ela concordou porque não precisaria se preocupar em prender ou ter outra distração. Sempre gostou dos fios curtos.

Mas o cabelo e o futebol foram "andar juntos" no final de semana. A equipe de Mili, o Azzurri Achurros, tinha um torneio na cidade, Omaha, Estados Unidos, onde vive. No sábado, o time venceu dois dos seus três jogos e assegurou vaga em uma das finais.

No domingo, a decisão. Mas alguém reclamou que o Azzurri tinha um menino em sua escalação. Mili acabou tirada do torneio. O pai ficou consternado e mandou para o site do torneio o seguro social da filha que havia a identificação do seu gênero. 

- Eu estava louco. Eu nunca tive esse problema antes. Ela joga há tanto tempo em torneios diferentes. Não quero problemas com ninguém, mas essa não era a maneira correta de tratar as pessoas. Por que eles querem dizer quem minha garota se parece com um menino? - disse o pai de Mili ao jornal Washington Post. 

Os organizadores não deram resposta. A reação de Mili? Tristeza. 

- Ela tentou manter a compostura, mas podia ver em seu rosto que ela sentiu-se mal - disse o irmão dela.

O pai ainda completou a ela: - As pessoas cometem erros. Todo mundo comete erros, mas você só precisa continuar jogando.

O apoio da família deu resultado e no outro dia Mili já estava correndo e brincando com o futebol que tanto ama e também reproduzindo cenas do seu clube do coração, Chivas Guadalajara. 

O apoio também veio da cinco vezes melhor do mundo, Marta. Em vídeo, a camisa 10 convidou a menina para visitá-la do Orlando Pride, seu novo clube na atual temporada. A craque também disse que passou por isso na infância, mas não desistiu e seguiu em busca dos seus objetivos.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também