Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

F1

Hamilton é o mais veloz no último treino para o GP da Itália

Hamilton é o mais veloz no último treino para o GP da Itália
05/09/2015 09:30 - FOLHAPRESS


epois de ser o mais veloz nas duas sessões de treinos livres realizadas na sexta-feira (4) em Monza, Lewis Hamilton voltou a repetir o bom desempenho na manhã deste sábado (5) e foi mais uma vez o dono da melhor volta no último treino livre antes da definição do grid para o GP da Itália de F-1.

Hamilton marcou sua melhor tentativa em 1min24s544 e foi exatos 0s264 mais veloz que Sebastian Vettel, da Ferrari, o segundo colocado no treino que começou com o asfalto úmido por conta da forte chuva que caiu na região do autódromo durante a noite.

Logo atrás do piloto alemão ficou Nico Rosberg, da Mercedes, que anotou 1min24s843.
A dupla da Williams fechou o treino na sequência. Valtteri Bottas marcou o quarto melhor giro da sessão (1min24s946) e Felipe Massa foi o quinto mais veloz.

A melhor volta do piloto brasileiro foi registrada em 1min25s165.

Pastor Maldonado, da Lotus, completou o treino em sexto, imediatamente à frente da Ferrari de Kimi Raikkonen.

Sergio Perez colocou a Force India no oitavo posto ao anotar 1min25s515.
Marcus Ericsson, da Sauber, foi o nono colocado e Romain Grosjean, da Lotus, fechou o top 10.

Assim como já havia acontecido na sexta-feira em Monza, Felipe Nasr cravou o 11o tempo na sessão deste sábado. O brasileiro da Sauber anotou sua melhor volta em 1min25s912.

O treino de classificação para a 12a etapa do Mundial de F-1 será realizado neste sábado, a partir das 9h (de Brasília) -mesmo horário da corrida, no domingo.

Felpuda


Alguns políticos estão se aproveitando deste momento preocupante de pandemia para sugerir projetos oportunistas que, em alguns casos, são de resultados extremamente duvidosos. O mais interessante – para não dizer outra coisa – é que se for analisado o desempenho normal dessas figuras, verifica-se que essa preocupação toda nunca esteve no topo das suas prioridades. Ano eleitoral é assim mesmo. Lamentável!