Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BRASILEIRÃO

Flamengo vence a Chapecoense e se mantém na liderança

Flamengo vence a Chapecoense e se mantém na liderança
06/10/2019 15:01 - ESTADÃO CONTEÚDO


 

Deu a lógica no duelo dos opostos, neste domingo, em Chapecó. Apesar de ter desfalques importantes - Filipe Luis, Arrascaeta e Gabriel -, o Flamengo aumentou ainda mais o desespero da Chapecoense, ao vencer por 1 a 0, na Arena Condá, pela 23.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O placar ainda poderia ter sido mais elástico se não fossem as inúmeras chances desperdiçadas pelo time carioca, que dominou a partida do início ao fim. Dúvida depois de ter sido poupado do treinamento de sábado, Bruno Henrique foi o autor do único gol da partida.

Invicto há nove jogos - 12 contando a Copa Libertadores -, o Flamengo continua na liderança isolada, com 52 pontos, seis a mais que o Palmeiras, que recebe o Atlético-MG nesta tarde. No outro extremo da tabela, a Chapecoense chegou ao oitavo jogo sem vitória e segue na lanterna, com 15 pontos.

O Flamengo precisou de apenas 55 segundos para levar perigo ao gol de Tiepo. Uma das novidades na escalação, o jovem Reinier cruzou para dentro da área e Bruno Henrique, que era dúvida, finalizou de primeira pela linha de fundo. Na sequência, os papéis se inverteram.

Bruno Henrique ganhou pelo alto e ajeitou de cabeça. A zaga da Chapecoense parou e Reinier desviou de carrinho para fora. A pressão rubro-negra parecia não ter fim. Aos 18 minutos, Bruno Henrique soltou a bomba de fora da área e viu a bola explodir na trave de Tiepo.

O gol parecia questão de tempo. Aos 30 minutos, aconteceu um lance curioso. O goleiro Tiepo soltou a bola para sair jogando, mas não viu que Bruno Henrique estava atrás. O atacante rubro-negro desarmou e só não marcou porque o goleiro conseguiu se recuperar e fazer o desvio.

Aos 35, não teve jeito. Vitinho cruzou, a defesa parou pedindo impedimento e Bruno Henrique apareceu livre para se abaixar e desviar de cabeça. Após consulta do VAR, o gol foi validado pela arbitragem para reclamação geral dos jogadores catarinenses.

Quase que o zagueiro Rodrigo Caio ampliou de cabeça antes do intervalo. A bola saiu raspando a trave de Tiepo.

O panorama não mudou depois do intervalo e o Flamengo massacrou a Chapecoense. No entanto, aos oito minutos, quase aconteceu o empate. Régis escapou em velocidade nas costas da defesa e finalizou com muito perigo por cima do travessão.

Diante da necessidade da vitória, a Chapecoense passou a sair mais e dar espaços para o Flamengo. Aos 15, Bruno Henrique recebeu de Vitinho e bateu em cima de Tiepo. Na sequência, Everton Ribeiro aproveitou rebote e bateu colocado exigindo grande defesa do goleiro.

Aos 28 minutos, Everton Ribeiro arriscou de longe e mandou na rede pelo lado de fora. Cinco minutos depois, Rafinha cruzou e Pablo Marí cabeceou na trave. O Flamengo passou a administrar a posse da bola e viu a Chapecoense ameaçar já nos minutos finais. Everaldo cabeceou e Diego Alves defendeu em dois tempos.

A Chapecoense volta a campo na quarta-feira, contra o Fortaleza, às 20h30, na Arena Castelão, no Ceará. Na quinta-feira, o Flamengo recebe o Atlético-MG, às 20 horas, no Maracanã. Os jogos serão válidos pela 24.ª rodada.

FICHA TÉCNICA

CHAPECOENSE 0 X 1 FLAMENGO

CHAPECOENSE - Tiepo; Bryan, Douglas, Rafael Pereira e Roberto; Márcio Araújo, Elicarlos e Gustavo Campanharo (Vini Locatelli); Renato Kayzer (Camilo), Everaldo e Régis (Arthur Gomes). Técnico: Marquinhos Santos.

FLAMENGO - Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Renê; Willian Arão, Gerson e Everton Ribeiro; Vitinho (Piris da Motta), Bruno Henrique e Reinier (Berrío depois Lucas Silva). Técnico: Jorge Jesus.

GOLS - Bruno Henrique, aos 35 minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO - Vinícius Gonçalves Dias Araujo (SP).

CARTÃO AMARELO - Elicarlos (Chapecoense).

RENDA - R$ 921.310,00.

PÚBLICO 12.152 pagantes.

LOCAL Arena Condá, em Chapecó.

Felpuda


A continuar disparando tantas críticas ácidas contradizendo o seu partido, que em nível nacional ganhou até um ministério, político cá dessas bandas poderá ser colocado de escanteio e, se continuar nessa cruzada nada palatável para as lideranças, ser convidado gentilmente a “procurar o caminhão do qual caiu”, como se diz no popular. Os comentários são de que o dito-cujo age assim mais para ganhar holofotes. Esqueceu-se, pelo que se vê, que poderá ocorrer curto-circuito. Ui!