Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

FUTEBOL

Em Brasília, Flamengo bate o Athletico-PR e conquista a Supercopa do Brasil

Flamengo derrotou o Athletico-PR por 3 a 0
16/02/2020 12:30 - Estadão Conteúdo


O Flamengo derrotou o Athletico-PR por 3 a 0, neste domingo, no estádio Mané Garrincha, em Brasília, e sagrou-se campeão da Supercopa do Brasil, confronto que reuniu os ganhadores do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil na temporada passada.

Bruno Henrique e Gabriel marcaram os gols no primeiro tempo. Na etapa final, Arrascaeta ampliou a vantagem do rubro-negro carioca. A final foi acompanhada pelo Presidente da República Jair Bolsonaro e de alguns Ministros, presentes nos camarotes do Mané Garrincha.

O Flamengo é o terceiro campeão da Supercopa do Brasil. Em 1991, o Grêmio levou a taça superando o Vasco por 2 a 0, no placar agregado. No ano seguinte, o Corinthians derrotou o Flamengo em jogo único (1 a 0).

No confronto histórico entre as duas equipes, o Flamengo aumenta sua pequena margem: agora são 28 vitórias do time carioca, 25 derrotas e 15 empates.

Depois do Athletico-PR, o Flamengo dá sequência a uma semana de decisões e finais. O time volta a campo na quarta-feira, para enfrentar o Independiente del Valle, em Quito, no Equador, às 22h30 (de Brasília), pela primeira partida da final da Recopa Sul-Americana, torneio que envolve o campeão da Libertadores e da Copa Sul-Americana da última temporada. O jogo da volta será dia 26, no Maracanã.

Antes da segunda partida decisiva da Recopa, o Flamengo disputa a final da Taça Guanabara em jogo único, sábado, 18h, também no Maracanã, contra Boavista ou Volta Redonda. A semifinal entre esses dois clubes será disputada neste domingo.

Já o Athletico-PR volta a campo no sábado, para encarar o Cascavel Recreativo, pela 8ª rodada do Campeonato Paranaense.

Antes do início da partida, a taça da Supercopa do Brasil foi levada ao centro do gramado pelo meio-campo Kleberson, campeão da Copa do Mundo de 2002 com a Seleção Brasileira no Japão, com passagem pelos dois clubes.

Com a bola rolando, o primeiro tempo começou com o Flamengo adotando a conhecida postura ofensiva, explorando as laterais do gramado, principalmente com Filipe Luís pela esquerda, e criando várias oportunidades de gols.

Com 20 minutos de final, o time de Jorge Jesus já havia finalizado cinco vezes contra o gol de Santos, incluindo o gol de Bruno Henrique, além de administrar uma posse de bola de quase 70%, não permitindo ao Athletico-PR atacar.

Logo aos 2 minutos, Arão obrigou Santos a praticar defesa difícil. Aos 14, o time rubro-negro abriu o placar. Gabriel cruzou da direita, Bruno Henrique apareceu entre os zagueiros e desviou de cabeça no canto direito de Santos.

Mesmo em vantagem, o Flamengo continuou no ataque e ampliou o placar aos 28, se aproveitando de uma falha da defesa paranaense Após cruzamento de Filipe Luís pela esquerda, Márcio Azevedo tentou recuar de peito para o goleiro, o recuo saiu fraco, Gabriel saiu de trás de Thiago Heleno, se antecipou a Santos e tocou para as redes.

Nos minutos finais da etapa inicial, prejudicado pelo forte calor na capital federal e o horário da partida, a intensidade do Flamengo caiu, a marcação ofensiva já no campo de defesa do Athletico-PR diminuiu e o time paranaense começou a se aproximar do gol de Diego Alves.

A primeira chance do Athletico-PR surgiu apenas aos 35, quando Marquinhos Gabriel cobrou falta com perigo sobre o travessão. Aos 40, novamente Marquinhos finalizou contra o gol de Diego e, aos 42, foi a vez de Rony perder a chance de diminuir a desvantagem.

No segundo tempo o Flamengo voltou a dominar as ações e Santos impediu o terceiro gol aos 15, quando Bruno Henrique entrou livre da área e acabou desarmado pelo goleiro.

Superior em campo, mesmo sem a intensidade apresentada no primeiro tempo, o Flamengo chegou ao terceiro gol. Aos 23, Arão lançou Bruno Henrique pela esquerda, ele entrou na área, tentou o toque para Gabriel e, no rebote de Santos, Arrascaeta chutou para ampliar.

Já sob os gritos de "é campeão" e "Olê, Mister", o Athletico-PR assustou e acertou o travessão de Diego Alves aos 29.

Após a parada técnica para hidratação aos 30, o Flamengo diminuiu o ritmo, o que bastou para irritar Jorge Jesus na lateral do gramado, que pedia intensidade e velocidade aos jogadores em campo.

Nos minutos finais o Flamengo foi ao ataque em busca do quarto gol e deu espaços para o Athetico-PR, que desceu com perigo, mas não chegou a marcar o seu gol na final.

 

Felpuda


Pré-candidato pode estar sendo “fritado” sem ao menos perceber. Redes sociais que têm estreitas ligações com ex-cabecinhas coroadas e que prometeram apoio estão enaltecendo que só certo pré-candidato de outro partido. Quem conhece as ditas figurinhas de, digamos, outros carnavais, acredita que está em curso operação sorrateira para mudar internamente os rumos da futura campanha. Trocando em miúdo: ceder a cabeça de chapa.