MUNDIAL

Fifa publica relatório sobre o processo <br>de escolha das Copas de 2018 e 2022

Fifa publica relatório sobre o processo <br>de escolha das Copas de 2018 e 2022
27/06/2017 15:09 - globoesporte.com


 

Fifa decidiu publicar nesta terça-feira o relatório Garcia, referente ao processo que escolheu Rússia e Catar como sedes das Copas de 2018 e 2022, respectivamente. A federação internacional disponibilizou um link para o documento em seu site e informou que sua decisão de levá-lo a público foi tomada após o relatório, descrito em 430 páginas pelo investigador independente Michael Garcia em 2014, ter sido "vazado de forma ilegal por um jornal alemão".

– Por uma questão de transparência, a Fifa informa que este relatório foi finalmente publicado – informou a Fifa.

O jornal alemão "Bild" publicou na terça-feira parte do relatório Garcia, que só agora veio a público de forma oficial. O documento indica que o ex-presidente do Barcelona Sandro Rosell depositou um total de 2 milhões de libras (R$ 6,6 milhões na cotação atual) à filha de 10 anos do ex-presidente da CBF Ricardo Teixeira. Entretanto, não garante que esse valor está relacionado à candidatura do Catar.

O relatório Garcia revelou ainda que "um ex-membro executivo (da Fifa) felicitou membros da federação do Catar e agradeceu por e-mail o pagamento de centenas de milhares de euros" após a atribuição da competição ao Catar".

Segundo o veículo de imprensa alemão, "três membros executivos da Fifa com direito a voto foram a uma festa no Rio de Janeiro em um jato privado da Federação de Futebol do Catar antes da eleição para atribuição da sede da competição".

O maior complexo esportivo do mundo, o "Aspire Academy", uma organização catariana, também "esteve envolvida de maneira decisiva na manipulação de membros da Fifa com direito a voto", completou o jornal alemão.

A atribuição da sede da Copa do Mundo de 2022 ao Catar, definida em 2010, esteve envolvida em suspeitas de corrupção desde o início. Na ocasião, o país asiático superou as candidaturas de Estados Unidos, Austrália, Japão e Coreia do Sul.

Uma investigação interna, conduzida pelo ex-procurador americano Michael Garcia, foi realizada. Após ler o relatório, a Câmara de Julgamento da Comissão de Ética da Fifa afirmou ter identificado comportamentos suspeitos por parte de membros da Fifa, mas nada que pudesse colocar em dúvida a atribuição das duas próximas Copas do Mundo.

Em 2014, Michael Garcia criticou a decisão da Fifa, afirmando que a leitura de seu relatório, que teve apenas uma parte publicada, havia sido parcial.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".