CRUZEIRO X CORITIBA

Cruzeiro bate Coritiba e quebra sequência de três partidas sem vitória no Brasileiro

Cruzeiro bate Coritiba e quebra sequência de três partidas sem vitória no Brasileiro
25/06/2017 19:10 - FolhaPress


 

O Cruzeiro venceu o Coritiba na tarde deste domingo (25) por 2 a 0 em partida válida pela décima rodada do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o time mineiro evitou que chegasse ao quarto confronto sem triunfos na temporada -marca que seria a pior da equipe em 2017. Thiago Neves e Rafael Sóbis foram responsáveis pelos gols do jogo disputado no Mineirão.

Com o resultado, o Cruzeiro chega à nona colocação do torneio nacional, com 14 pontos conquistados. O Coritiba, por sua vez, chega ao quinto jogo sem vencer e contabiliza 15 pontos. Os paranaenses estão na sétima posição.

Thiago Neves foi quem abriu o placar aos 37min do primeiro tempo. Após boa jogada com Alisson pelo lado esquerdo, Diogo Barbosa cruzou, e o meio-campista chegou chutando para marcar seu oitavo gol na temporada.

O gol que determinou o triunfo cruzeirense saiu aos 19min da etapa final. Após chutão da defesa, a bola sobrou para Rafael Sóbis, que partiu para a área adversária, driblou o goleiro Wilson e o lateral William Matheus para anotar seu 11º gol em 2017.

Na próxima rodada, o Cruzeiro tem o clássico contra o Atlético-MG, domingo, no Mineirão. Mas antes disso, o time dirigido por Mano Menezes pega o Palmeiras pela partida de ida das quartas de final da Copa do Brasil.

Já o Coritiba, que está em declínio, buscará a recuperação em seu estádio diante do Vasco no domingo.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".