Campo Grande - MS, terça, 14 de agosto de 2018

JUDÔ

Com prata e bronze no último dia,
Brasil termina Mundial em quarto

David Moura e Rafael Silva subiram ao pódio pela categoria peso pesado

3 SET 2017Por FOLHAPRESS01h:00

David Moura chegou muito perto. Fez uma luta empatada contra o astro Teddy Riner por quase seis minutos, sendo dois de golden score, mas não conseguiu encerrar a invencibilidade de mais de nove anos do francês.

Em um combate equilibrado neste sábado (2), na final da categoria peso pesado (acima de 100 kg) do judô, Riner conquistou o ouro e deixou a prata com o brasileiro. Rafael Silva, outro representante do Brasil, também parou no francês, nas quartas de final, e se recuperou para ganhar o bronze.

Assim, o Brasil encerra sua participação no modelo tradicional do Mundial do Judô com quatro medalhas e no quarto lugar geral. A primeira brasileira a subir ao pódio, na terça (29), foi Érika Miranda, com a medalha de bronze na categoria até 52kg.

Na sexta (1º), Mayra Aguiar se tornou a segunda judoca do país a ser bicampeã mundial, repetindo o feito do seu ídolo, João Derly. A competição continua no domingo, com a prova mista por equipes, que agora faz parte do programa olímpico.

EQUIPES MISTAS

No domingo (3), 21 países voltarão ao tatame da Laszlo Papp Arena para a inédita disputa do Mundial Por Equipes Mistas, que estará pela primeira vez no programa olímpico em Tóquio 2020. 

Onze brasileiros estão inscritos na competição: Érika Miranda (57kg), Rafaela Silva (57kg), Maria Portela (70kg), Maria Suelen Altheman (+70kg), Beatriz Souza (+70kg), Marcelo Contini (73kg), Eduardo Katsuhiro (73kg), Victor Penalber (90kg), Eduardo Bettoni (90kg), Rafael Silva (+90kg) e David Moura (+90kg).

Entram no tatame apenas seis atletas por países em cada duelo. Vence a equipe tiver o maior número de vitórias nos seis combates. Vitórias por ippon são o primeiro critério de desempate. 

 

Leia Também