Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CANOAGEM

Com medalha em segundo plano, Brasil inicia Mundial

O objetivo da equipe brasileira é ampliar o número de vagas no Rio 2016
18/08/2015 16:40 - GAZETA ESPORTIVA


 

Às vésperas dos Jogos Olímpicos, a Seleção Brasileira de canoagem segue em busca de mais vagas no Rio 2016. Por isso, a partir desta quarta-feira, a equipe nacional inicia a disputa do Campeonato Mundial de Canoagem nas modalidades Velocidade e Paracanoagem, que acontece em Milão, na Itália.

Trata-se do primeiro evento classificatório para as Olimpíadas e Jogos Paralímpicos do Rio 2016. Vale destacar que o Brasil já tem vaga garantida no C1 1000m masculino, K1 1000m masculino e K1 500m feminino. O destaque fica por conta do campeão mundial Isaquias Queiroz.

“A estratégia desse Mundial é focas nas vagas olímpicas e não nas medalhas. Às vezes, temos que pensar no que é importante, e agora são as vagas olímpicas de 2016. No Rio, eu não vou remar C1 200, vou remar apenas C1 1000”, explicou Isaquias.

Além dele, Nivalter Santos e Erlon de Souza chamam atenção, assim como os paraolímpicos Fernando Rufino e Fernando Fernandes. Dentre os 25 atletas brasileiros, 20 são financeiramente apoiados pelo Ministério do Esporte por meio dos programadas Bolsa Atleta e Bolsa Pódio.

“Esse será o Mundial mais disputado da História. Temos um recorde de participantes, são 101 países. (…) O Brasil busca ampliar o número de vagas disponibilizadas por ser país-sede na disputa pelo Rio 2016 com um número recorde de atletas”, declarou Álvaro Koslowski, chefe da delegação brasileira de canoagem.

Felpuda


Considerados “traíras” por terem abandonado o barco diante dos indícios da chegada da borrasca à antiga liderança, alguns pré-candidatos terão de se esforçar para escapar da, digamos assim, vingança, velha conhecida da dita figurinha. Dizem por aí que há promessas nesse sentido, para que os resultados dos “vira-casacas” nas urnas sejam pífios. Sabe aquela velha máxima: “Pisa. Mas, quando eu levantar, corre!” Pois é...