STOCK CAR

Camilo domina de ponta a ponta e vence segunda no ano na corrida 1

Zonta e Serra fecham top-3
19/05/2019 13:34 - Grande Prêmio


 

De ponta a ponta, Thiago Camilo fez na corrida 1 deste domingo (19) em Goiânia a prova mais dominante da Stock Car 2019 até o momento, para vencer com tranquilidade pela segunda vez no ano, após a terceira pole-position. 

Apesar de afirmar que poderia repensar um triunfo para tentar mais pontos na segunda corrida do dia, Camilo começou a abrir vantagem para os rivais logo cedo, mantendo sempre mais de 2s à frente, e mesmo com um pit-stop mais lento que os adversários venceu com facilidade. 

Foi a 25ª vitória da carreira dele, que teve Ricardo Zonta e Daniel Serra, nesta ordem, ao seu lado no pódio. Zonta bateu o atual bicampeão já na largada, após a primeira curva, e não teve dificuldades para manter vantagem - mesmo que não tenha conseguido brigar, de fato, pela vitória.

Serra, porém, assumiu a liderança, enquanto Camilo pulou para segundo. Barrichello, antes primeiro colocado, caiu para terceiro na primeira parte do dia em Goiânia.

A segunda corrida da rodada dupla de Goiânia acontece logo mais, às 14h08 (horário de Brasília) deste domingo. O GRANDE PRÊMIO cobre tudo 'in loco' com o repórter Felipe Noronha.
Saiba como foi a corrida 1 da Stock Car no Velo Città

Com a pista extremamente quente (acima dos 60 °C),  Camilo segurou a pole na largada da corrrida 1 na capital goiana. Serra não teve tanta sorte: já na primeira curva, Zonta colocou por dentro e tomou o segundo lugar - curiosamente, Zonta só conseguiu ter certeza de que participaria momentos antes da largada, já que estava com problemas de câmbio, resolvidos já com o grid formado. Quem também saiu bem foi a dupla da Prati Donaduzzi: Julio Campos e Valdeno Brito. Ambos passaram Max Wilson e se colocaram atrás de Rubens Barrichello já na primeira volta - Ricardo Maurício, que saiu em quinto, passou o #111. Campos, na volta 3, também passou Barrichello. 

O primeiro a recolher para pensar na corrida 2 foi Felipe Fraga, que não conseguiu repetir o bom desempenho das etapas anteriores desde o começo dos treinos em Goiânia. Segundo a Cimed, o motor do #88 sofreu com superaquecimento. Bia Figueiredo, que foi à grama na largada, também abandonou cedo. Enquanto isso, na frente, Camilo abria mais de 2s para Zonta, lutando pela vitória apesar de apontar que poderia pensar mais na estratégia que no triunfo. 

Enquanto a batalha na frente do grid seguia sem troca de posições, do meio para o fim os abandonos propositais para foco na corrida 2 seguiam: Cesar Ramos e Raphael Reis assim o fizeram por exemplo. Barrichello, por sua vez, devolvia a ultrapassagem de Campos, com o push, para retomar o quinto lugar. Eles já ficavam mais de 4s atrás do pelotão da frente, porém (mesma distância que Camilo conseguia abrir para Zonta).
Quando a janela dos boxes abriu, os primeiros a pararem foram os do meio do grid, já pensando em estratégias para a corrida 2. Marcos Gomes, porém, seguia focado na 1, e já era 8° colocado, passando Valdeno Brito, após largar em 13°. Já entre os líder, Serra foi o primeiro a partir para os boxes, na volta 17. No giro seguinte, tanto Camilo quanto Zonta pararam, o que fez Serra voltar na liderança e com a pista livre para tentar uma investida na primeira colocação.

Camilo, porém, perdeu 3s a mais nos boxes do que Zonta, e a dupla voltou colada na pista - aainda à frente de Serra, porém. Barrichello e Campos optaram por continuar na pista por mais tempo. E o #111 repetiu a tática tradicional da Full Time: foi o último do pelotão da frente a entrar, para tentar subir no grid sem tráfego na pista.

Se não passou o trio da frente, voltou à pista apenas 2s atrás de Serra. Camilo seguiu mostrando força e abriu, novamente, distância para Zonta. Wilson e Maurício passaram Barrichello, tal como Gomes, que seguia avançando, chegando ao sexto lugar. 
Nos cinco minutos finais, pilotos que haviam recolhido já no começo da prova voltaram à pista para aquecer para a corrida 2. As batalhas mais emocionantes da corrida passaram a acontecer no final do top-10. Primeiro Diego Nunes deixou o topo da tabela ao ser ultrapassado pela dupla da Prati, com Brito à frente. Cacá bueno, por sua vez, perdeu a posição para Galid Osman, em sua melhor prova na temporada até aqui, no oitavo lugar então.

Na frente, porém, vitória tranquila para Camilo, sua segunda na temporada: beirando os 3s de vantagem para Zonta - que, por sua vez, voltou a pontuar, lutando para se recuperar dos pontos perdidos pela desclassificação no Velo Città. Serra controlou a terceira posição e foi seguido pelo companheiro de Eurofarma, Maurício. Wilson foi ultrapassado por Gomes e, na ordem invertida, estes completaram o top-6, com Barrichello, Osman, Bueno e Campos, que passou Brito no final (garantindo a pole da corrida 2), fechando os 10 primeiros. 
 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".