SURFE

Brasileiros eliminam oponentes e avançam em Trestles

Defendendo a liderança, Mineirinho passou facilmente pelo irlandês Glenn Hall
12/09/2015 10:54 - GAZETA ESPORTIVA


 

A sexta-feira foi um dia perfeito para a Brazilian Storm em Trestles. Todos os seis surfistas nacionais que seguem vivos na disputa – Miguel Pupo, Ítalo Ferreira, Filipe Toledo, Wiggolly Dantas, Adriano de Souza e Gabriel Medina – tiveram sucesso em suas baterias e avançaram para a quarta rodada da etapa californiana da Liga Mundial de Surfe (WCT), oitava da temporada.

Pupo foi o primeiro a cair na água em San Diego. Diante do australiano Julian Wilson, o surfista de Itanhaém conquistou somatória de 12.84 pontos contra apenas 4.80 do adversário e se classificou sem sustos para a próxima fase.

Na sequência, Ítalo teve vida difícil contra o também australiano Matt Wilkinson. O potiguar fez 15.30 logo no início (8.67 + 6.63), mas viu Wilkinson, que já havia conquistado um 7.27, pegar uma onda boa (8.00) e encostar no marcador, com 15.27. O estreante da elite conseguiu segurar o resultado para sair com a vitória.

Depois foi a vez de Filipinho enfrentar o polinésio Michel Bourez. O brasileiro iniciou com um excelente 9.77, mas o estrangeiro buscou a virada e chegou a 14.83. Foi apenas na reta final que o atleta de Ubatuba reagiu. Pegou uma onda que valeu 7.50 pontos, reassumiu a dianteira com 17.27 e despachou o rival. No primeiro duelo do dia que não envolveu brasileiros, Joel Parkinson venceu seu compatriota Josh Kerr por 18.63 a 13.90.

Veio então Wiggolly Dantas, que superou o australiano Taj Burrow por 15.27 a 12.53. Dantas também estava perdendo até os minutos finais, quando fez 8.27 e assumiu a ponta. Vestindo a camisa amarela de líder, o Mineirinho teve tranquilidade para triunfar sobre o irlandês Glenn Hall por 12.83 a 11.97 na sexta bateria.

Tricampeão mundial, o australiano Mick Fanning também não enfrentou dificuldades para derrotar o local Kolohe Andino por 14.83 a 11.57. Nat Young, por sua vez, fez valer o fator casa e despachou o australiano Kai Otton por 18.10 a 12.26. Vencedor da etapa em Jeffreys Bay no mês passado, o francês Jeremy Flores não teve a mesma sorte e caiu para o australiano Adrian Buchan por 15.77 a 15.26.

Slater e Medina avançam com tranquilidade

Na décima bateria do dia, o 11 vezes campeão Kelly Slater passou tranquilamente pelo australiano Adam Melling, com placar final de 16.50 a 10.83.

Por fim, foi a vez do atual campeão mundial, Gabriel Medina, encerrar as disputas do dia. Após o tropeço contra o havaiano Freddy Patacchia Jr. na primeira rodada, que o mandou à repescagem, e da vitória sobre o compatriota Tomas Hermes, o surfista de São Sebastião mostrou sua força ante o australiano Bede Durbidge.

Medina largou na frente com 7.67, mas o oponente encostou no marcador, com 7.03. O brasileiro mostrou um surfe de alto nível e conquistou nota 8.83 na quarta onda, enquanto o adversário tentava responder à altura. Com um belo tubo, Durbidge chegou a 8.07, mas não foi suficiente para superar o campeão mundial, que venceu por 16.50 a 15.10.

Como Patacchia anunciou a aposentadoria após superar Medina, o australiano Owen Wright não precisou disputar a 12º e última bateria do dia e se classificou automaticamente para a quarta rodada, a ser disputada no sábado.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".